TV MEU XODÓ - A TELEVISÃO DE ACOPIARA

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Temperaturas caem em diversas cidades do Ceará

chapada
O cearense tem experimentado, nos últimos dias, clima mais ameno e até sensação de frio em várias regiões do Estado.

As temperaturas abaixo da média, neste período do ano, são explicadas pela chegada do inverno no Hemisfério Sul, que pode representar quedas de temperaturas de até 3º Celsius, se comparado com dezembro, o mês mais quente do ano no Estado. Ontem, no início da manhã, a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) registrou 21,9ºC em Fortaleza. Foi a temperatura mais baixa já verificada neste ano na capital cearense.

De acordo com a meteorologista da Funceme, Meyre Sakamoto, a estação mais fria do ano é iniciada no Hemisfério Sul, quando acontece o alinhamento do Sol com o Trópico de Câncer, no Hemisfério Norte, ou seja, é a época do ano em que o sol está mais longe do Ceará, o que explica as temperaturas mais baixas. O mesmo ocorre na América do Sul, Oceania e Sul da África.

Entre os meses de junho a agosto, as temperaturas mínimas tendem a declinar. Se durante o dia as temperaturas máximas ficam em torno dos 30°C, nas noites e nas madrugadas do inverno, as mínimas deixam o tempo mais agradável. Em Fortaleza, por exemplo, o termômetro pode ficar próximo dos 22°C. "A média para a cidade em dezembro é de 24ºC", detalha Sakamoto, indicando que a diminuição de temperatura, neste período, fica em torno de 2ºC a 3ºC.

No Interior, as temperaturas também estão menores. Em Barbalha, na região do Cariri, as mínimas no inverno chegam aos 19°C e em Guaramiranga, na Serra, 16°C. "Essas duas regiões, o Cariri e a região serrana do Maciço, são as que apresentam as menores temperaturas", destaca a Funceme. Já em algumas regiões do Estado, o que chama atenção é a amplitude térmica, isto é, a variação de temperatura em um mesmo dia. "Sobral pode registrar, durante o dia, máxima de 34ºC e, à noite, mínima de 23ºC, o que representa queda de quase 10ºC", detalha o órgão meteorológico.

A sensação térmica, no entanto, pode ser ainda menor em várias cidades cearenses, devido à incidência dos ventos. Nessa época do ano os ventos começam a se intensificar até chegar ao mês de setembro, quando as médias de velocidade são maiores e as rajadas são mais fortes. As temperaturas um pouco mais baixas e o vento ficando mais forte resultam numa sensação térmica de mais frio, explicam os meteorologistas da Funceme.

Iniciado em 22 de junho, o inverno segue até 21 de setembro. Nesse período, a tendência é que as temperaturas voltem a subir a partir da segunda metade de julho e início de agosto. Dia 22 de junho foi oficialmente quando o sol começou a se afastar do Hemisfério. Com o passar dos dias, a posição do sol vai voltar a se alinhar com o equador. "Portanto, a previsão é de que até a segunda semana de julho, as temperaturas fiquem mais baixas, a partir de então, passem a subir discretamente", explica a meteorologista.

DN Online

Nenhum comentário: