TV Meu Xodó - A TV da nossa gente!

quinta-feira, 4 de junho de 2020

''Bolsonaro já perdeu essa batalha'', afirma ex-ministro Ciro Gomes

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) acusou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de estar formando ‘milícias’ dentro de quartéis de polícias militares de todo o Brasil para inflar manifestações pró-democracia nas ruas. De acordo com Ciro, em entrevista exclusiva ao Estado de Minas, a intenção do grupo é ‘produzir cadáver’ nos movimentos previstos para acontecer no próximo domingo.

Ciro, que lançou no último sábado o livro Projeto Nacional: O dever da esperança, traz na obra pistas de soluções para os principais problemas vividos no Brasil nos últimos anos. Na entrevista, o ex-ministro também fez projeções para a saúde e a economia com a pandemia do novo coronavírus.

Os estudos feitos pela sua equipe apontam que, até agosto, 80 mil a 125 mil brasileiros devem perder a vida por complicações causadas pela covid-19. Além disso, é estimada uma queda de até 11% no PIB nacional.

O ex-ministro teceu elogios ao prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD) pela forma com que a pandemia tem sido combatida na capital mineira e criticou o governador Romeu Zema (Novo). Na visão de Ciro, Zema tem cometido erros na gestão da crise em Minas.

“O Kalil está em linha com as melhores práticas internacionais e com as recomendações da ciência. O Zema está propondo um erro que foi cometido em Milão. Está cometendo o erro de Madri. Fizeram a retração, em seguida, não vendo os números crescer, afrouxaram fora de hora e explodiu na Itália e na Espanha. E explodir aqui não é estatística, é muita gente morta. Mas é exatamente a situação de Minas Gerais hoje”, afirmou.

Na entrevista, Ciro detalhou a atual relação com o Partido dos Trabalhadores (PT) e com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ex-governador do Ceará também comentou sobre a aproximação de Bolsonaro com o Centrão.

Região Norte do Ceará tem 91,9% dos leitos ocupados

A taxa de ocupação de leitos de Covid-19 na região Norte do Ceará está em 91,9%, segundo o boletim epidemiológico da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) divulgado nesta quarta-feira (3). Nas enfermarias a taxa é de 75,1%, e nas UTIs, o índice de ocupação é o mais alto por região no estado, de 108%. O Hospital Regional Norte, em Sobral, supera esse índice com 115,5% de ocupação de UTIs.

Na última sexta-feira (29) o secretário da Saúde, Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto, chegou a alertar para um aumento de casos no interior do Ceará, especialmente na região Norte. "Fizemos o mapeamento da incidência do número de casos por 100 mil habitantes e da mortalidade por coronavírus, que é muito importante. Essas cidades estão a maioria agora na região Norte. Nos preocupa aquela região de Itapipoca, até Camocim, Sobral e Santa Quitéria", disse.

Ceará chega a 58.160 casos de Covid-19; número de óbitos é de 3.671

O Ceará chegou a 58.160 casos de coronavírus, conforme dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), atualizada às 09h30 desta quinta-feira (4). O número de óbitos registrado foi de 3.671 em todo o Estado. Vale ressaltar que os dados podem envolver informações de dias anteriores ao divulgado nesta data.

Novo estudo coloca Ceará e Fortaleza com melhor relação entre dívidas e receitas do futebol nacional

Ceará e Fortaleza são os clubes com melhor cenário financeiro dentre os 20 principais do ranking da CBF. O estudo foi realizado pela consultoria ErnstKamp Young com base nos dados de 2019.

O Vovô possui uma dívida líquida total de R$ 14 milhões, a menor entre 20 clubes entre as Séries A e B do Brasileirão. O Leão do Pici vem logo em seguida, com R$ 25 milhões. O clube mais endividado é o Botafogo (R$ 819 milhões).

Confira o raking de endividamento líquido total:

1º: Botafogo (R$ 819 milhões)
2º: Cruzeiro (R$ 799 milhões)
3º: Internacional (R$ 794 milhões)
4º: Corinthians (R$ 765 milhões)
5º: Atlético/MG (R$ 656 milhões)
6º: Fluminense (R$ 642 milhões)
7º: Vasco (R$ 639 milhões)
8º: Flamengo (R$ 505 milhões)
9º: São Paulo (R$ 503 milhões)
10º: Palmeiras (R$ 501 milhões)
11º: Santos (R$ 440 milhões)
12º: Grêmio (R$ 410 milhões)
13º: Athletico/PR (R$ 279 milhões)
14º: Bahia (R$ 224 milhões)
15º: Sport (R$ 178 milhões)
16º: América/MG (R$ 82 milhões)
17º: Goiás (R$ 50 milhões)
18º: Atlético/GO (R$ 28 milhões)
19º: Fortaleza (R$ 25 milhões)
20º: Ceará (R$ 14 milhões)

O Alvinegro segue para seu 3º ano seguido na elite nacional enquanto o Tricolor vai para seu 2º, ambos em crescente evolução estrutural. Em maio, um levantamento da Sports Value, empresa especialista em propriedades esportivas, apontou a dupla cearense como a de menor dívida dentre os principais clubes do Brasil.

Bairro Recreio, em Mombaça (CE), está sendo beneficiado com obras de pavimentação em paralelepípedo

A Prefeitura de Mombaça (CE) através da Secretaria de Infraestrutura deu início as obras de pavimentação em paralelepípedo de 07 ruas do bairro Recreio. 
A imagem pode conter: céu, nuvem e atividades ao ar livre
O objetivo do poder público municipal é de sempre levar benefícios que fortaleçam cada vez mais a dignidade das pessoas. De acordo com o prefeito Ecildo Filho serão investidos nos serviços R$ 550 mil.

Super Refis dá desconto de até 90% nas dívidas

Projeto apresentado ontem na Câmara cria um Super Refis (parcelamento de débitos tributários) para dívidas contraídas até o fim da pandemia. O projeto garante perdão de até 90% de multas.

Na prática, a proposta dá salvo-conduto para empresas e pessoas físicas deixarem de pagar os débitos contraídos até dezembro, quando termina o estado de calamidade pública decretado pelo governo em decorrência da pandemia.

Um requerimento de urgência, assinado pelo líder do Centrão, deputado Arthur Lira (PP-AL), também foi encaminhado ontem. Se aprovada a urgência, o projeto pode ser votado imediatamente pelo plenário.

De autoria do deputado Ricardo Guidi (PSD-SC), o projeto cria o Programa Extraordinário de Regularização Tributária (Pert/Covid-19) para débitos da Receita e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. Os interessados poderão aderir ao programa de parcelamento no prazo de até 90 dias após o fim do estado de calamidade pública decretado em decorrência da pandemia do coronavírus, que vai até o dia 31 de dezembro.

O alcance do projeto é amplo: poderão ser parcelados os débitos gerados até o mês de competência em que for declarado o fim do estado de calamidade pública decorrente do coronavírus, de natureza tributária e não tributária, constituídos ou não, em dívida ativa ou não. Inclusive os débitos decorrentes de falta de recolhimento de valores retidos e aqueles objetos de parcelamentos anteriores rescindidos ou ativos, em discussão administrativa ou judicial.

Para o presidente da Associação Nacional dos Auditores da Receita, Mauro Silva, o projeto não só permite o contribuinte deixar de pagar, mas para fazer todo tipo de fraude. "Não tem limitação. Pode entrar se você fez fraude, se tem dinheiro em caixa", criticou. "Todo pessoal que teve lançamento da Lava Jato pode entrar? Pode. É qualquer débito", completou.

"Nossa posição é clara. Sempre fomos tradicionalmente contra Refis. Agora, muda um pouco de figura, o que precisamos é que na data que for entrar ele prove que precisa do Refis", disse Silva, que vai defender a apresentação de uma emenda para garantir uma cláusula exigindo a apresentação contábil de que a empresa precisa de fato do parcelamento para manter o negócio e os investimentos, sem poder distribuir lucro para os seus acionistas. O caminho, segundo ele, seria o parcelamento das multas e não o perdão. "Até porque são coisas que aconteceram pré-covid". Ele diz temer que o projeto seja aprovado na "calada da noite" pela Câmara.

Os débitos vinculados à pessoa física poderão ser pagos em até 120 parcelas mensais, iguais e sucessivas (10 anos). A redução será de 90% das multas de mora e de ofício, das isoladas, dos juros de mora e do valor de encargo legal.

Na justificativa, o autor do projeto destaca que a crise social e econômica é "sem precedentes e de efeitos ainda incertos". "Estamos diante de uma redução brusca do faturamento das empresas."

BNB manterá foco nos mais vulneráveis, diz presidente interino

Pouco mais de 24 horas depois que Alexandre Cabral assumiu a presidência do Banco do Nordeste - e, em seguida, foi destituído - Antônio Jorge Pontes Guimarães, diretor financeiro de crédito do banco, assumiu ontem a presidência interinamente e disse que vai priorizar, neste momento de crise, os mais vulneráveis, como micros e pequenos produtores nordestinos, e atender às necessidades das classes produtivas da Região. O setor produtivo cearense acredita que o episódio não deve comprometer a credibilidade da instituição e nem os projetos futuros do banco.

"Eu quero acreditar que essas mudanças se encontram na busca pelo melhor profissional nas competências técnicas. Nós já fazemos parte da diretoria executiva do banco e vínhamos participando na condução da instituição. O BNB tem um plano estratégico e temos os nossos direcionamentos", disse Antonio Jorge.

"Compreendemos a nossa importância no apoio ao microcrédito e, neste momento, alcançarmos o público com crédito e renegociação de dívidas. Nossa missão é estarmos próximos desse público, suportando esses agentes produtivos com novos créditos e renegociação. A nossa orientação é neste momento estarmos ainda mais próximos daqueles que entendemos serem os mais vulneráveis", acrescentou.

Segundo ele, o BNB não vai "fugir da missão" e manterá a solidez de anos de existência. "O banco já passou por diversas situações e sempre mostrou sua capacidade de resiliência. O banco tem sua governança, seus propósitos e valores. Ficamos feliz que a sociedade tenha o entendimento da nossa solidez, da nossa resiliência, da capacidade de trabalharmos em prol da sociedade nordestina e que nós não vamos fugir disso", pontuou o presidente interino.

Jorge ainda reforçou o comprometimento do banco com o desenvolvimento econômico da região. "O BNB tem suas linhas de atuação e vamos seguir rigorosamente esse direcionamento de atender à classe produtiva nordestina nas suas necessidades".


Repercussão

Para o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), André Montenegro, mesmo com os episódios recentes, o BNB não terá a credibilidade atingida. Montenegro afirmou ainda que o banco segue uma política pública a partir do Governo Federal, que tem metas desenhadas. "Eu acredito que não (terá a imagem afetada), porque o banco tem uma governança estabelecida. A decisão de trocar de presidente é uma prerrogativa do presidente da República e ele está fazendo uso. Claro que tem toda a estrutura de procedimentos, e hoje as instituições são bem auditadas", disse.

"A política pública vai partir do Governo Central, do ministro da Economia, Paulo Guedes, e vai ser uma política de retomada de crescimento. O BNB vai ter que seguir essas normas. Eu não acredito em uma política isolada para o BNB", explicou o empresário.

O diretor-presidente do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), João Mário Santos, admitiu que os episódios desgastam a instituição, mas que não vê problema com as indicações políticas.

"Isso não é incomum ocorrer, mas é importante que seja um nome técnico e que tenha liberdade para trabalhar. Se for indicação para ficar fazendo o que o político deseja, é ruim. O importante agora é ter um nome técnico e que conheça o setor bancário, tendo liberdade para implementar as melhores políticas para fortalecer o desenvolvimento da região Nordeste".

Pequenas empresas

De acordo com o diretor técnico do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Ceará (Sebrae), Alci Porto, as relações do Sebrae com o BNB são constantes e que o banco cumpre com o seu papel de desenvolvimento regional. "O Sebrae tem convênio com o BNB e já fazemos isso há várias gestões. Essa relação de apoio tem sido constante, e as questões que levam à indicação do presidente não impacta o Sebrae. Independentemente da indicação para a presidência do banco, o apoio existirá. Eu creio que quem quer que assuma a gestão do banco não interfere muito no papel dos pequenos negócios", explicou.

Porto disse ainda que o papel de fomento do BNB está acima de qualquer cunho político. "O BNB é um banco de desenvolvimento e da população nordestina. O banco tem repetidamente definido como um dos eixos estratégicos as pequenas empresas. Até porque o papel do banco é apoiar essas empresas e tem sido constante o apoio da instituição nesse aspecto", pontuou.

Comércio

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio), Maurício Filizola, espera que os episódios não interrompam o papel de fomento do BNB.

"O BNB é fomentador de uma região e que tem uma importância muito grande. A gente espera que recursos continuem chegando com facilidade e no tempo certo. O que a gente espera é qualquer que seja o presidente, ele tenha em mente que o empresário precisa de rapidez na tomada de decisão e flexibilidade para atender às demandas do empresário", informou.

Para Freitas Cordeiro, presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL-CE), os episódios são negativos, mas ele reforçou que o BNB tem uma estrutura solidificada.

"Não vou negar que isso não seja positivo, mas eu acredito que o banco é bem maior que isso. Ele tem uma estrutura muito bem instalada e um corpo funcional de grande qualidade. Essas decisões não têm repercussões negativas para a gente não. O que nós temos de fazer é preservá-lo. As políticas públicas da instituição permanecem, como o crédito orientado, por exemplo, até porque o BNB está sedimentado em cima de políticas de longo prazo e que têm bons resultados. Os episódios são ruins, mas não nos abala", comentou.

Petrobras reajusta em 5% preço do gás de cozinha

A Petrobras informou que vai reajustar em 5% o preço médio do gás liquefeito de petróleo (GLP) vendido pela companhia às distribuidoras a partir desta quinta-feira (4). Com isso, o preço médio da Petrobras será equivalente a R$ 24,08 por botijão de 13 quilos (kg). No acumulado do ano, a redução é de 13,4%, ou R$ 3,72 por botijão de gás de cozinha de 13 kg.

A Petrobras esclarece que igualou desde novembro de 2019, os preços do gás liquefeito de petróleo para os segmentos residencial e industrial/comercial e que o GLP é vendido pela Petrobras a granel. As distribuidoras são as responsáveis pelo envase em diferentes tipos de botijão e, junto com as revendas, são responsáveis pelos preços ao consumidor final.

Ceará já distribuiu cerca de 220 mil testes rápidos para municípios; Estado é o que mais testa no Brasil

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o Governo do Ceará já distribuiu 219,2 mil testes rápidos para detecção da Covid-19 nos municípios.

Mesmo com a escassez mundial desse tipo de insumo, o Estado é, proporcionalmente, o que mais testa a população. Essa é uma das principais medidas apontadas por infectologistas para mapear a evolução da doença e conseguir combatê-la com mais eficiência.

Fortaleza recebeu maior quantidade dos testes. Além de ser o município cearense com maior população, é também o epicentro da doença no Ceará. Até agora, foram destinados 70,2 mil testes rápidos para atender os moradores da Capital.

No atual cenário epidemiológico, a região de Sobral é a segunda mais afetada pela Covid-19. Portanto, a cidade e os municípios vizinhos receberam, ao todo, 12,5 mil testes rápidos. Os municípios de Caucaia e Maracanaú, que também apresentaram altos índices da doença, receberam cerca de 10 mil testes rápidos para atender a demanda.

O governador Camilo Santana ressalta que testando mais a população do Ceará é possível identificar os casos da doença e definir as políticas públicas de combate ao coronavírus.

Qualidade do sono pode ajudar no combate à covid-19

O novo coronavírus pegou o mundo desprevenido e fez boa parte da população mundial mudar hábitos e se adaptar a essa nova realidade. Para tentar conter a proliferação do vírus, as orientações são diversas: lavar as mãos, evitar tocar nos olhos, boca e nariz sem higienizá-las, manter-se hidratado, evitar aglomerações, usar máscara de proteção, entre outras.

Além disso, uma boa noite de sono é uma aliada para manter a saúde. Segundo o médico do sono e neurologista da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), Lúcio Huebra, dormir bem auxilia no fortalecimento do sistema imunológico, fundamental na prevenção da doença.

“É durante o sono que boa parte das funções do corpo se recupera e isso também acontece com o sistema imune. É preciso uma boa qualidade do sono para que as células de defesa sejam restauradas e, dessa forma, garantam a produção de anticorpos para as diversas infecções de maneira adequada”, diz o neurologista.

Há uma relação bidirecional entre a qualidade do sono e a imunidade. Um sono de má qualidade ou encurtado leva o organismo a uma situação de estresse, aumentando a liberação do cortisol, hormônio com efeito imunomodulador e que acaba reduzindo as defesas do corpo.

Um estudo brasileiro sobre o impacto do sono na eficácia da vacina contra a hepatite A mostrou que pessoas com privação de sono tiveram resposta reduzida pela metade ao serem vacinadas, em relação ao grupo que dormiu bem. Existe também evidência de que o sono curto, com menos de seis horas, está associado a um aumento da sintomatologia do resfriado comum. Ou seja, pesquisas comprovam que pessoas que dormem menos do que o necessário ficam mais suscetíveis a infecções respiratórias.

“É importante lembrar que cada pessoa precisa de uma quantidade mínima de horas de sono diferente. Os números são médias populacionais, então pode ser que certas pessoas precisem de mais ou menos tempo. O importante é estar sempre revigorado no dia seguinte”, enfatiza Lucio Huebra.

Além da imunidade
Além da queda da imunidade, o sono de má qualidade ou insuficiente traz outras repercussões negativas para o organismo. Quando a quantidade ideal de horas de sono não é respeitada, algumas consequências podem surgir, sejam elas agudas, que aparecem já no dia seguinte a uma noite mal dormida, ou crônicas, aquelas que podem surgir ao longo da vida, como consequência de diversos episódios de sono de má qualidade.

Fadiga, sonolência, irritabilidade, desatenção, dificuldade de memorização, dor de cabeça e tontura são alguns dos exemplos de impactos agudos da restrição do sono. A longo prazo podem surgir complicações metabólicas como obesidade, dislipidemia, maior risco de diabetes; complicações cardiovasculares como hipertensão, maior risco de infarto ou acidente vascular cerebral (AVC).

Além disso, várias noites mal dormidas consecutivas podem levar a um processo de declínio cognitivo, prejudicando a memória ou acelerando um processo de demência em pessoas que já tenham predisposição.

Juntamente com esses aspectos, a falta de sono adequado pode acarretar prejuízos em diferentes níveis da vida social como reduzir a produtividade, dificultar o aprendizado e aumentar o risco de acidentes, seja no trânsito ou no trabalho. O humor também fica alterado, deixando as pessoas mais irritadas e com menor tolerância à frustração, atrapalhando o trabalho em grupo e o convívio social.

Sono de qualidade
Para dormir há inúmeros conselhos que constituem a chamada higiene do sono. O processo é um conjunto de ações que buscam proporcionar um sono de qualidade todas as noites. Entre as recomendações estão:

Escolher um ambiente adequado para dormir: silencioso, confortável e escuro.

O local deve ser utilizado exclusivamente para a função, então só usá-lo quando realmente for dormir e se deitar na cama apenas quando estiver com sono. Evitar, ao longo do dia, permanecer na cama.

Todas as luzes artificiais são péssimos estímulos que interferem no sono, como celular, computador, televisão. Sendo assim, evitar usá-los próximos do horário de dormir. Durante o dia, se expor ao máximo à luz, especialmente deixando as janelas abertas, e se expondo à luz externa.

Garantir temperatura adequada, tanto do ambiente em si quanto do pijama, que precisam ser confortáveis e permitir boa mobilidade.

Ter uma boa rotina noturna, com horários regulares, fazer sempre as mesmas tarefas próximo à hora de se deitar para sinalizar ao cérebro que já é o momento de o sono vir.

O ideal é fazer refeições leves e não abusar da ingestão de líquidos. Além disso, precisa ser evitado qualquer tipo de estimulante (café, refrigerante, chocolate), tanto no fim do dia quanto durante a noite.

O neurologista lembra que o período é de grandes preocupações e ansiedade, o que também prejudica uma boa noite de sono. “Então, é importante reservar de 30 minutos a uma hora antes de dormir para se desligar de todas as notícias, buscando fazer algo que seja prazeroso e relaxante para que o sono possa vir com qualidade”.

Prejuízo estimado com fraudes para compras de EPIs no Ceará é de R$ 17 milhões

A Polícia Civil do Ceará (PCCE) investiga práticas fraudulentas em dois processos de compras de equipamentos de proteção individual (EPIs). Conforme os investigadores, os equipamentos vinham sendo adquiridos pela Prefeitura de Fortaleza e Prefeitura de Maracanaú, município da Grande Fortaleza.

Na manhã dessa quarta-feira (3), os policiais deflagraram a Operação Alcateia. Segundo a Polícia, uma família proprietária de, pelo menos, quatro empresas estaria em conluio negociando os EPIs com preços superfaturados. Conforme a Polícia, máscaras que tinham preço médio de R$ 5 vinham sendo comercializadas por R$ 92. Até agora a investigação apontou um prejuízo de, pelo menos, R$ 17 milhões aos cofres municipais. Não foram divulgados nomes das empresas e dos proprietários.

Durante as diligências da Operação Alcateia foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão em dois hospitais, sedes das empresas e residências dos suspeitos. Ninguém foi preso. Foram apreendidos quase R$ 17 mil e equipamentos eletrônicos, como celulares e computadores, que devem passar por perícia e auxiliar no desdobramento da investigação.

Alvos
As investigações tiveram início há quase dois meses, após a Delegacia de Combate à Corrupção (Decor) receber denúncias sobre fraude nos processos de compra dos produtos a serem distribuídos para o Hospital Zilda Arns Neumann, conhecido como Hospital da Mulher, em Fortaleza, e o Hospital Municipal de Maracanaú.

Em nota, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Fortaleza negou que tenha havido compra ou qualquer pagamento referente à aquisição dos objetos que culminaram na operação policial. A Pasta disse que a "operação de busca e apreensão em suas dependências foi totalmente descabida", se referindo às diligências realizadas no Hospital da Mulher. Já a Prefeitura de Maracanaú disse que aguardava mais detalhes sobre a investigação para se manifestar oficialmente.

O delegado-geral da Polícia Civil do Ceará, Marcus Rattacaso, afirmou que familiares de diferentes empresas acertaram entre si fraudar processos de compra e apresentar preços superfaturados. Osmar Berto, titular da Decor, acrescentou que as empresas têm razões sociais diferentes, mas ficou constatada a relação entre elas.

"Essas empresas ofertaram propostas para estes hospitais. Especificamente com relação ao Hospital da Mulher, o processo de compra está em fase de andamento. Em Maracanaú, a contratação efetivamente ocorreu. Há fortes indícios que a empresas fazem parte de um conluio justamente para ludibriar a administração pública, no sentido de que, independente de quem seja o vencedor o dinheiro vai para o mesmo local. A finalidade da contratação acaba sendo de interesse de uma só pessoa", disse Osmar Berto.

Segundo os policiais, até então não há comprovação que os proprietários das empresas mantivessem ligação com membros da administração pública: "Nosso objetivo agora é justamente comprovar esse vínculo e averiguarmos se há agentes públicos envolvidos, se há facilitação por parte deles nessa contratação", disse o delegado.

Coronavírus no Ceará
O Ceará tem 56.056 casos positivos de Covid-19 e 3.605 óbitos, segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde. A atualização foi às 14h49 desta quarta-feira (3). Nesta segunda-feira (1º) o Estado ultrapassou os 50 mil diagnósticos positivos da doença.

Mega-Sena, concurso 2.267: uma aposta acerta as seis dezenas e leva mais de R$ 45 milhões

Uma aposta feita pela internet acertou sozinha as seis dezenas da Mega-Sena e faturou um prêmio de R$ 45.553.191,42. O sorteio do concurso 2.267 da Mega-Sena foi realizado na noite desta quarta-feira (3).

Veja as dezenas sorteadas: 20 - 32 - 33 - 48 - 49 - 53.

A quina teve 33 acertadores e cada um receberá R$ 105.176,88. A quadra teve 4.064 apostas vencedoras; cada uma ganhará R$ 1.220,06.

O próximo concurso (2.268) será no sábado (6) e o prêmio estimado é de R$ 2,5 milhões.

Para apostar na Mega-Sena
As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito.

Probabilidades
A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 4,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Energia: obras de transmissão no CE devem ser antecipadas

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou que obras de transmissão no País poderão ter entregas adiadas em até quatro meses por conta da pandemia do coronavírus. Mas, no Ceará, nenhuma das duas operações em andamento deverão ser postergadas. Segundo o secretário executivo de energia e telecomunicações do Governo do Estado, Adão Linhares, a perspectiva é, na verdade, que as obras sejam antecipadas por determinação das empresas responsáveis pelos projetos.

Linhares explicou que as duas grandes obras em andamento no Ceará (em Tianguá e Pacatuba) têm o início de operação previsto para o começo de 2023. Contudo, as companhias que tocam esses projetos já sinalizaram que deverão seguir os trabalhos normalmente para que os projetos sejam entregues antes do previsto. As indicações estariam focadas, segundo o secretário executivo, em buscar mais celeridade para o retorno dos investimentos feitos no leilão da Aneel ainda em 2018.

Linhares, contudo, afirmou que o Estado não se opôs à medida da Aneel que dá a possibilidade a empresas adiarem a entrega de obras de transmissão no País. A justificativa para corroborar com a medida é o fato de que apenas obras sem grande impacto no sistema nacional de energia poderão ser adiadas.

"Não há preocupação e a gente apoia a medida, que é sensata, de permitir a postergação de quatro meses. Atrasar quatro meses significa atrasar a receita do investidor, mas devido ao cenário, isso é saudável, então não há questionamento quanto ao Estado", explicou Adão.

Pandemia

O secretário executivo ainda destacou que todas as obras em andamento estão seguindo as recomendações de saúde necessárias. Além disso, segundo Linhares, não foram registrados casos de coronavírus nos canteiros de obras ligados ao setor de energia, o que reforça o cuidado que as empresas e o Estado vêm aplicando nesses projetos.

'Live' de Bolsonaro com empresários gera saia justa no Ceará

O presidente Jair Bolsonaro tem, sistematicamente, quebrado os protocolos institucionais da Presidência da República. Com estilo próprio – e polêmico – ele vai mandando às favas as formalidades e conduz as ações como bem entende. Por vezes, a quebra da liturgia transparece falta de planejamento.

Nesta quarta-feira (3), ele e um grupo de importantes ministros, incluindo Paulo Guedes, da Economia, tiveram uma videoconferência com um grupo de empresários cearenses reunidos de maneira heterodoxa, vamos dizer assim.

Não houve um critério institucional na articulação, tanto que entidades como a Fiec e a Fecomércio só tomaram conhecimento da ‘live’ por terceiros. O critério mais aparente parece ter sido o da ‘afinidade’ com o presidente. O evento causou saia justa entre líderes de entidades representativas do setor empresarial.

Parte produtiva

A reunião girou em torno de projetos do Governo Federal para a economia e obras no Ceará, contou uma fonte desta coluna presente à videoconferência. No encontro, o ministro Paulo Guedes disse que o Governo irá prorrogar a MP 936, que permite redução de salários e suspensão dos contratos de trabalho. Sinalizou ainda que deve manter por mais dois meses o auxílio emergencial, repassando aos beneficiados R$ 300 em cada mês. E apontou para a prioridade de obras como a Transposição do São Francisco e o Anel Viário de Fortaleza. Fora momentos de certa bajulação, empresários reclamaram da dificuldade de crédito para o setor. O assunto está avançando, disse Guedes.

Apoio governista

Aliás, o ministro Paulo Guedes teve outro compromisso com um cearense nesta quarta. Ele recebeu o deputado federal Mauro Filho sobre o projeto que prevê o uso de fundos públicos, cerca de R$ 177 bilhões, para aplicação no período da pandemia. O ministro já tinha sinalizado positivamente e confirmou o apoio formal do Governo ao parlamentar cearense. A prioridade de votação será definida no colégio de líderes da Câmara. A ideia é destravar isso até a próxima semana. Um detalhe curioso no caso é um bom diálogo entre oposição, no caso o deputado cearense, e o Governo.

Instabilidade

A versão digital desta coluna antecipou, nesta quarta, a confirmação da saída do presidente do Banco do Nordeste, um dia após a posse. A indicação de Alexandre Cabral, atribuída a partidos do ‘Centrão’, gerou um debate interno entre o Ministério da Economia e a Secretaria de Governo. A área econômica não queria a mudança, mas a articulação política falou mais alto, em nome da tal ‘governabilidade’. Ao chegar ao Banco tendo que explicar que não era indicação partidária, Alexandre acabou assinando o recibo da instabilidade. Caiu na primeira reportagem denunciando supostas irregularidades na gestão dele na Casa da Moeda.

Sucessão na Capital

Líderes do grupo governista trataram, nesta quarta, de forma reservada e isolada, sobre a sucessão municipal em Fortaleza. O tema é a desincompatibilização dos secretários que tiverem planos de concorrer a prefeito ou a vice. Eles terão que ser exonerados na edição de hoje do Diário Oficial. As conjecturas sobre os cenários já estão feitas. Há a expectativa de que Elcio Batista e Samuel Dias deixem os cargos.

Comunicado-Secretaria de Cultura e Turismo de Iguatu

A Prefeitura Municipal de Iguatu, através da Secretaria de Cultura e Turismo, vem comunicar o adiamento do resultado final do edital de apoio aos artistas iguatuenses, devido a um problema de saúde de um dos membros da comissão de avaliação. Informamos também que o resultado sairá até dia 5 de junho de 2020, à 0h.

Taxa de mortalidade no Ceará aumenta 67% em uma semana

Em uma semana, a taxa de mortalidade do Ceará passou de 22,3 para 37,3 óbitos a cada 100 mil habitantes, de acordo com as informações do Boletim Epidemiológico da Covid-19, divulgado na noite desta quarta-feira (3) pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). O informe contempla a Semana Epidemiológica 23, que vai do dia 31 de maio a 6 de junho.

O salto na taxa equivale a um aumento de aproximadamente 67%. O incremento na mortalidade foi maior nas Áreas Descentralizadas de Saúde (ADS) de Camocim, Acaraú e Sobral, que tiveram aumento percentual de 89%, 79,4% e 75,0%, respectivamente.

quarta-feira, 3 de junho de 2020

Padaria União volta a abrir em Acopiara


Ministro Edson Fachin mantém condenação do prefeito de Acopiara, Antônio Almeida Neto

O Ministro e relator do Tribunal Superior Eleitoral, Luiz Edson Fachin, manteve a condenação do prefeito de Acopiara, Antônio Almeida Neto (MDB), deixando-o inelegível para as eleições deste ano.

A pergunta que fica é: será que ele consegue reverter a situação?

O prefeito foi condenado na primeira instância, segunda instância (colegiado) e agora pelo TSE.

Sobe para 8 o número de mortes por Covid-19 em Acopiara (CE)

Subiu para 8 o número de óbitos em decorrência da Covid-19, em Acopiara, na região Centro-Sul do Estado. Os dados foram divulgados pela Secretaria da Saúde nesta quarta-feira (3). Até esta terça-feira (2), 6 mortes eram contabilizadas.

Agora são 8 óbitos e 94 casos confirmados da doença no Município. O boletim indica 30 pessoas curadas do novo coronavírus.

Maia diz ter informação que socorro a Estados e municípios será pago até dia 9

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira (3) que a primeira parcela do socorro a Estados e municípios deve ser entregue aos entes até a próxima terça-feira (9). Segundo ele, a informação foi repassada pela equipe econômica do governo. "Liberando dia 9 é uma data próxima. O que demorou mesmo foi a sanção", disse.

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que garante socorro de R$ 60 bilhões a Estados e municípios no dia 27 de maio. Ele atendeu os vetos recomendados pelo Ministério da Economia, entre os quais barrar a possibilidade de reajustes para servidores públicos até o fim de 2021.

O repasse será feito em quatro parcelas mensais, sendo que R$ 10 bilhões - R$ 7 bilhões para Estados e Distrito Federal e R$ 3 bilhões para municípios - serão destinado especificamente a ações de saúde e assistência social no combate à pandemia de coronavírus. Dos R$ 50 bilhões restantes, R$ 30 bilhões ficarão com Estados e DF e R$ 20 bilhões, com municípios. A distribuição levará em conta as perdas de arrecadação e o número de habitantes.

Anteriormente, o Ministério da Economia havia divulgado que a primeira parcela do montante destinado aos entes federados tanto para compensação da perda de arrecadação como para o enfrentamento à Covid-19 estava prevista para ser iniciada na próxima segunda-feira (8).

Alexandre Cabral dura pouco mais de 24h e é exonerado da presidência do BNB; Diretor Financeiro assume interinamente

O Banco do Nordeste deverá ser gerido interinamente pelo diretor financeiro de crédito, Antônio Jorge Pontes Guimarães. Ele é um dos mais antigos da casa.

O diretor assumirá o cargo até que seja eleito um novo presidente definitivo, acumulando funções, e fica no posto após a exoneração de Alexandre Borges Cabral nesta quarta-feira (3).

Antônio Jorge Pontes Guimarães é bacharel em Ciências da Computação e possui especialização em Negócios Internacionais.

A diretoria executiva do BNB, então, passou a ser composta por Antônio Jorge Pontes (Presidente e Diretor Financeiro), Haroldo Maia Júnior, Perpétuo Socorro, Sandra dos Santos e Wanger Antonio de Alencar.

Casa da moeda

O Governo Federal teria decido exonerar Alexandre Cabral após uma reportagem do jornal Estado de São Paulo que ligava o ex-presidente a irregularidades registradas na Casa da Moeda.

Cabral é alvo de uma apuração conduzida pelo Tribunal de Contas da União (TCU) por irregularidades em contratações feitas pela Casa da Moeda em 2018, durante gestão à frente da estatal.

Decisões

O Banco do Nordeste afirmou que o Conselho de Administração "tem pautado suas deliberações de forma diligente, rigorosamente em conformidade com as boas práticas de governança corporativa e em estrita observância da legislação vigente".

O Banco ainda informou que "tomou conhecimento" dos fatos ligados a Cabral "somente por meio da mídia". O BNB reiterou, em comunicado, o compromisso de transparência e tempestividade de comunicação dos fatos aos acionistas.

3 milhões de pessoas curadas da Covid-19 no mundo

Nesta quarta-feira (03), o número de pessoas que se recuperaram por completo do novo coronavírus superou a marca de 3 milhões no mundo. Dos 6.513.891 casos registrados, 3.028.278 ainda estão ativos e 3.100.971 já se recuperaram. Dos casos registrados, 384.642 vieram a óbito.

Com relação aos principais epicentros de recuperação no planeta, os Estados Unidos é o país com maior número de curados - mais de 649 mil - seguido por Brasil e Rússia, 253 mil e 195 mil, respectivamente.

Adiante, os países são seguidos por Alemanha (167.300), Itália (160.938), Turquia (130.852), Irã (125.206) e Índia (103.949). Há três semanas, o Brasil tinha 72 mil recuperados do vírus, tendo um crescimento de 230% neste período.

Em comparação com a América do Sul, o Brasil é seguido por Chile e Peru, 86.173 e 69.257 pacientes recuperados, respectivamente.

Auxílio emergencial: como conferir se o CPF foi usado em uma fraude

Os brasileiros que suspeitam de fraudes no pedido de auxílio emergencial com o uso dos seus dados podem consultar a página do benefício para verificar as informações.

Nessa página, o cidadão deve informar CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento.

Segundo o tutorial para consultar a situação do benefício, há cinco respostas possíveis para o pedido de auxílio que podem ajudar a entender se há algo de errado com o cadastro.

Confira as respostas possíveis indicadas no tutorial:

Benefício aprovado: Significa que o cidadão é elegível a receber o auxílio emergencial. A data de envio para a Caixa não representa a data efetiva do pagamento do benefício. O calendário de pagamento dos beneficiários deverá ser consultado diretamente no site da Caixa.

Benefício não aprovado: Significa que o cidadão não é elegível a receber o auxílio emergencial. Na mesma tela, o cidadão poderá verificar qual critério não foi atendido, motivo que causou a sua inelegibilidade ao benefício.

Requerimento não encontrado: Caso o requerimento do cidadão ainda não tenha sido recebido pela Dataprev, é apresentada a mensagem "Requerimento não encontrado".

Requerimento retido: A mensagem significa que o cadastro foi retido pela equipe de homologação do Ministério da Cidadania em função da complexidade de cenários e cruzamentos. Com isso, será realizado novo reprocessamento das informações pela Dataprev.

Dados inconclusivos: Caso o sistema identifique problemas nos dados do cidadão que impeçam a análise para concessão do benefício, o sistema vai orientar que se realize um novo requerimento no site da Caixa para complementar ou confirmar seus dados cadastrais ou de sua família.

Assim, observando essas respostas, é possível saber se alguém usou os dados indevidamente para pedir o benefício.

Segundo o Ministério da Cidadania, em casos suspeitos de fraude no auxílio emergencial, o cidadão deve registrar denúncia no sistema Fala.Br (Plataforma integrada de Ouvidoria e Acesso à Informação da Controladoria Geral da União - CGU), disponível na internet ou pelos telefones 121 ou 0800 7070 2003.

Mega-Sena pode pagar R$ 45 milhões nesta quarta-feira (3)

O concurso 2.267 pode pagar um prêmio de R$ 45 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h desta quarta-feira (3) no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. A aposta mínima custa R$ 4,50 e pode ser realizada pela internet - saiba como fazer.

Para apostar na Mega-Sena
As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito.

Probabilidades
A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 4,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Maioria das cidades do Interior do Ceará desrespeita o isolamento rígido

Diante da escalada de casos da Covid-19, as cidades de Sobral, Itapipoca, Camocim, Itarema e Acaraú, todas na Região Norte, tiveram medidas mais restritivas no isolamento social decretadas pelo Governo do Estado. O ‘lockdown’ passou a vigorar na segunda-feira (1º), com o objetivo de mitigar a disseminação do novo coronavírus e, assim, evitar um colapso no sistema de saúde. No entanto, nos dois primeiros dias de vigência do decreto, o resultado não foi o esperado. Houve desrespeito às normas em quase todas as cidades.

O cenário preocupa. Os cinco municípios já somam, juntos, 4.852 casos confirmados da Covid-19. O quantitativo é 7% maior do que o registrado na última segunda-feira. Como agravante, a taxa de ocupação dos leitos está próxima do limite. Nas três cidades (Sobral, Itapipoca e Itarema) que têm UTIs dedicadas a pacientes com Covid, a taxa de ocupação está em 93,66% - em Acaraú e Camocim não há leitos de UTI. Já para os leitos de enfermarias, presentes nas cinco cidades, a taxa é de 73,88%. Ao todo, os cincos municípios dispõem de 410 leitos (UTI e enfermaria) exclusivos para tratamento da Covid. Neste universo, a ocupação é de 80,7%. Os dados são confirmados pelas secretarias de saúde dos municípios atualizados às 11h e, os números do Hospital Regional Norte (HRN), são do IntegraSUS, atualizados às 19h27.

Evitar o estrangulamento das vagas - que se mostra eminente -, só será possível com isolamento rígido, avaliam especialistas. “Não adianta abrir vagas e mais vagas se a população não colabora. O mais importante, hoje, é adotar o isolamento”, alerta a médica Luana Costa. Mas, não é o que tem sido observado até agora.

“Tem muita gente nas ruas ainda, e sem máscara. O pessoal ainda não teve a consciência de como esse vírus é sério”, desabafou uma moradora de Sobral, que se recuperou da Covid-19 e que não quis se identificar. O Município registra o maior número de casos no Interior, com 2.416 pessoas infectadas, e é um dos que mais preocupa. A situação de Sobral gera atenção pois a cidade também é referência hospitalar para a macrorregião.


Só no HRN, que atende pacientes de 55 municípios, dos 99 leitos de UTI, 96 estão ocupados. Apesar das aglomerações, o diretor da Coordenadoria Municipal de Trânsito de Sobral (CMT), Julif Guedes, garantiu que há fiscalização no Município.

“A PM reforçou as operações”. Há blitz em todos os acessos a Sobral e em algum deles há bloqueios. Além disso, todo o Centro foi isolado.

Outro município em situação grave pelo grande número de casos é Itapipoca, que já soma 1.043. Na cidade, todos os 17 leitos de UTI estão ocupados. Mesmo assim, muitos moradores seguem se aglomerando. “As pessoas não respeitam. As filas continuam grandes, os supermercados cheios. A Prefeitura barrou as entradas no município, mas ainda não vi sucesso nessa nova medida”, conta a agente de microcrédito Mirelle Dutra.

O presidente da Autarquia Municipal de Trânsito de Itapipoca (AMTI), Paulo da Mota David, admite dificuldades para conter a circulação de pessoas e veículos, já que muitos, vindos de outros municípios, se dirigem à cidade para utilizar serviços essenciais, como os bancos. “Vem gente de Amontada, Miraíma, Uruburetama”, exemplifica.

Hoje, o principal trabalho dos agentes de trânsito é conter as aglomerações em dia de pagamentos. “Os agentes estão dando apoio. Isolou a Caixa Econômica, pintou o chão para manter a distância”, enumera as ações.

Com 25 agentes trabalhando por escala, David admite as dificuldades. “É insignificante o número porque fazemos (fiscalização) a noite”, pontua. Outro problema é que a cidade é cortada pela BR-402, que liga o Ceará aos estados de Piauí e Maranhão. “Não podemos ser arbitrários e impedir o cidadão que passa de uma cidade para outra”, pondera David. Os agentes têm orientado para não circularem nas vias municipais.

Para tentar conter o fluxo, Itapipoca adotou um rodízio de veículos a partir do número final da placa. “Em dias ímpares só circulam os que têm placas ímpar. Em dias pares, apenas final com número par”, explica David. A regra não é aplicada para quem presta serviços essenciais ou veículos de quem tem permissão para trabalhar.

Já em Camocim, no extremo Norte cearense, a própria coordenadora de atenção básica do Município, Ana Cristina Bernardino, observa que parte da população descumpre as medidas de isolamento social. “A população não está consciente do que está ocorrendo e precisamos da ajuda dos moradores”, pontuou. “As pessoas saem para fazer compras”, completa.

Apesar da gestão municipal afirmar que vem adotando medidas desde o início da pandemia, uma enfermeira que trabalha em uma unidade básica de saúde e pediu para não ser identificada disse que as medidas preventivas foram adotadas tardiamente. “Fazemos limite com Jijoca de Jericoacara e o fluxo de turismo estava intenso com a praia de Tatajuba, onde os casos de Covid-19 começaram”, pontuou. “Até hoje não há barreira nessa área”. O município, que não tem UTI, já registra 11 óbitos pela Covid.

A professora Ângela Cecília da Silva denuncia que, mesmo com o decreto mais rígido, ainda há muitas pessoas nas ruas e a fiscalização e as barreiras não estão surtindo efeito. “Não mudou quase nada”, garante.

Um empresário local reforça: “Aqui nada mudou, o quadro atual com lockdown é igual à situação anterior, com muitas pessoas nas ruas e os comerciantes colocando clientes dentro das lojas e fechando as portas”, desabafou. A reportagem entrou em contato com a chefia de Gabinete da Prefeitura de Camocim, mas as ligações não foram atendidas. A gestora do Comitê de Crise de Acaraú, Marjore Viana, também reconhece a existência de aglomerações. “A situação nos preocupa com muita gente nas ruas, nos bancos para receber benefícios sociais, aposentadorias, e isso forma aglomerações”, contou. “A rodovia estadual de acesso a outras cidades passa por dentro de Acaraú e isso traz dificuldades de controle”, afirma. Os casos em Acaraú saltaram 36,5% em uma semana, chegando ontem (2) a 734 infectados.

Oposto
A cidade de Itarema é a única onde as medidas parecem estar sendo cumpridas. O empresário Marcos Maia relata que houve uma “pequena mudança no fluxo de pessoas” no centro da cidade em relação à semana passada, quando ainda não havia sido estabelecido o lockdown. A secretária de Saúde do Município, Ana Paula Praciano, corrobora. “Nesses últimos dois dias, houve uma redução do número de pessoas nas ruas”.

Diário do Nordeste 

Número de óbitos por Covid-19 supera o de assassinatos no Ceará

O novo coronavírus ataca em silêncio, é invisível, mas deixa um rastro de morte. No Ceará, os óbitos por Covid-19 registrados até o último boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde (Sesa), às 19h27 de ontem, superam todos os Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs) de 2019.

Na balança, estão 12 meses de letalidade no âmbito da segurança contra 80 dias de uma grave doença que virou rotina. Ao longo do último ano, 2.257 pessoas perderam a vida no Estado por conta de homicídios, latrocínios (roubos seguidos de morte) e lesões corporais com óbito. Os mortos pela infecção viral são 3.504.

Esse é o retrato da crise sanitária global em uma zona com altas taxas de violência. Por si, as 24,7 mortes por 100 mil habitantes do período passado já configuram uma epidemia na segurança: para as Organizações das Nações Unidas (ONU), o teto do índice é 10. Assim, o conflito está instaurado e a única refém é a população cearense, estimada em 9,1 milhões. No caso da Covid-19, muda ainda a despedida. As vítimas devem partir sem cerimônia de sepultamento e com caixões lacrados, sob risco de contaminação.

"Nós fizemos um velório virtual. Amigos e irmãos, todos acessamos um aplicativo e ficamos relembrando a vida dele, cantamos, oramos, falamos de momentos. Ele era muito alegre, gostava de churrasco e tinha um monte de cachorro. No dia seguinte, foi o velório, só podem ir 10 pessoas, mas eu digo para todos que a dor é grande porque essa doença não nos deixa velar, ver a pessoa, nem se despedir", afirmou a contadora Aldair Barros, irmã de uma das milhares de vítimas no Ceará.

A leitura mais precisa então é longe de números, mas nomes. Como o próprio enredo de Salomão Rodrigues, de 63 anos, pessoa disposta a enfrentar a doença como motorista do Samu em uma unidade de saúde de Maracanaú. E a missão foi bem executada, até o momento de partir: dia 13 de maio.

"A gente dizia para não ir por conta da idade, alguns problemas de saúde que o deixavam no grupo de risco, mas ele disse que tinha de ajudar, não podia parar logo na pandemia. E sempre que voltava para casa, falava que companheiros de trabalho estavam infectados, até médicos. Não tinha jeito, Salomão foi muito relutante, a vida dele foi dedicada ao serviço de saúde", finalizou.

Pós-pandemia: saúde e construção são potenciais para a economia cearense

O fim da pandemia do novo coronavírus ainda é incerto, mas alguns setores já começam a planejar a evolução da atividade econômica após a normalização das questões de saúde, analisando os impactos causados pela crise. A cadeia industrial da saúde, inclusive, que abrange equipamentos de proteção individual e medicamentos, entre outros produtos, é um dos setores que devem ser impactados por esse momento - e que representam uma oportunidade para o Estado.

Liderada pela Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), a indústria cearense iniciou, ontem (2), um grupo de trabalho para discutir estratégias para a retomada no momento pós-pandemia. Segundo Ricardo Cavalcante, presidente da Fiec, o plano terá metas de curto, médio e longo prazos e será apresentado ao poder público em 90 dias, com a indicação de um caminho para o setor.

O objetivo, de acordo com Cavalcante, é adaptar a indústria local ao "novo momento econômico" criado pela pandemia do novo coronavírus. O presidente da Fiec destacou a atuação de empresas do setor de confecções e do setor têxtil que adaptaram fábricas para produzir equipamentos de proteção individual, como máscaras, luvas e aventais para o uso dos profissionais da saúde em todo o Estado.

Com as mudanças no cenário global da produção industrial, o polo industrial de saúde no Ceará pode ganhar mais relevância. Em relação a esse setor, Ricardo explicou que muitos países já estão planejando a retirada de empresas do território chinês e que isso poderá mudar o perfil da centralização dos locais de produção no mundo.

O presidente da Fiec afirmou também que a pandemia do coronavírus mostrou uma certa dependência do mercado mundial com produtos chineses e ponderou que, se a dinâmica mundial mudar, o Ceará poderá ter um ponto positivo para impulsionar o desenvolvimento local.

A Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Ceará é um dos potenciais do Estado, segundo Cavalcante, com capacidade de gerenciar a produção e exportação de itens. "Se houver esse movimento de mudança de local de produção, nós temos o melhor local da produção no Brasil, que é a ZPE do Ceará, que é a porta das Américas", disse.

Construção civil

Outro ponto de destaque é a construção civil, que segundo Cavalcante, foi apontada pelo ministro Paulo Guedes (Economia) como um dos setores a impulsionar a economia no pós-pandemia. A visão foi corroborada por Patriolino Dias, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE).

Segundo Dias, o setor está reduzindo estoques e poderá impulsionar novas vendas a partir da redução das taxas de juros aplicadas no Brasil. Ele ainda projetou que o novo Minha Casa Minha Vida poderá ser lançado nos próximos seis meses, o que pode colaborar com o crescimento do setor. Contudo, esse desenvolvimento deverá depender do desempenho da economia no geral, ponderou Dias.

Composição

O grupo de trabalho da Fiec conta com a participação de empresários do setor da indústria e economistas. Carlos Prado deverá liderar os trabalhos, contando com a participação dos empresários André Montenegro, Annette Castro, Marcos Soares, além dos economistas Lauro Chaves Neto, Guilherme Muchale, Sérgio Melo, Alcântara Macedo, Firmo de Castro, Célio Fernando e Luiz Eduardo Barros.

Representantes dos 40 sindicatos ligados à Fiec deverão ser ouvidos durante o período de trabalho, que deverá ser marcado por reuniões semanais nos próximos 3 meses.

"A gente precisa entender como estão as cadeias e entender como deverá ser o desenvolvimento industrial do Ceará. Nós entendemos que a indústria precisa apontar o caminho para os governos. Hoje tivemos a primeira reunião do grupo de trabalho", explicou o presidente da Fiec.

Apoio

O presidente da Fiec, contudo, apontou que ainda é preciso fazer com medidas atuais sejam mais eficazes para reduzir os impactos da crise na economia cearense. Ele destacou que vários empresários não estão conseguindo acessar as linhas de crédito anunciadas pelo Governo Federal para dar suporte aos negócios durante o período de calamidade.

Cavalcante ainda fez um apelo ao novo presidente do Banco do Nordeste, Alexandre Borges Cabral - que tomou posse ontem (2) -, para que o BNB tenha como foco fazer esses recursos chegarem na ponta. "Nós precisamos que esse dinheiro chegue nos pequenos e médios empresários para reduzir os impactos da crise", disse.

Competitividade

Coordenador do grupo, o economista e professor Lauro Chaves Neto, que é também conselheiro do Resultados da pesquisa Resultado da Web com links de sites Conselho Federal de Economia (Cofecon) destacou que um dos objetivos é também dar mais competitividade à indústria cearense no longo prazo. Além disso, Chaves afirmou que serão discutidas medidas para transformar a indústria cearense em um mercado mais sustentável.

"O grupo tem o objetivo de se pensar a longo prazo e pensar o desenvolvimento industrial cearense. A partir desse diagnóstico é que vamos pensar nas estratégias para o futuro da indústria mais sustentável e mais incluída no cenário global", disse o também conselheiro federal de economia.

Já o presidente do Centro Industrial do Ceará (CIC), Marcos Soares, afirmou que as classificações serão consolidadas apenas após a consulta aos empresários, mas que nos próximos 15 dias, a equipe já poderá apresentar algo.

Acopiara está na mira do MPCE em fiscalização de recursos da saúde

A fiscalização do Ministério Público do Ceará sobre os contratos de aquisição de bens e serviços para o combate à pandemia do novo coronavírus já chega a mais de 70 municípios cearenses, dentre eles, Acopiara.

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) divulgará, às terças-feiras, um balanço dos procedimentos que estão em andamento para investigar a aplicação dos recursos públicos, em âmbitos municipal e estadual. Os procedimentos são oriundos de representações e de denúncias recebidas pelas Promotorias de Justiça, órgãos de apoio e de investigação, e Ouvidoria do MPCE ou através do e-mail covid19.denuncia@mpce.mp.br. Alguns desses procedimentos fiscalizam a instalação de hospitais de campanha, a compra de respiradores, de testes para COVID, de EPIs e de outros insumos e a distribuição de cestas básicas, entre outras contratações.

O procurador-geral de Justiça Manuel Pinheiro destaca que o objetivo desta divulgação é fazer com que os cidadãos possam compreender como o Ministério Público vem trabalhando e como cada um deles pode ajudar a fiscalizar a aplicação correta do dinheiro público. “Todas as suspeitas que chegam ao conhecimento do MPCE são encaminhadas para os promotores de Justiça, que realizam todas as diligências necessárias para chegar à verdade dos fatos. Não é fácil realizar a investigação de tantos fatos complexos durante uma pandemia, que dificulta a realização dos trabalhos de campo. Além disso, como estamos em um ano eleitoral, o Ministério Público precisa ter o máximo cuidado para evitar que as suas ações sejam usadas para influenciar as campanhas municipais. Porém, nada nisso nos impedirá de cumprimos com a nossa missão de prevenir e reprimir a corrupção, onde quer que ela esteja e quem quer que tenha praticado”, reforça o chefe do MP cearense.

Ele lembra, ainda, que é possível acompanhar a aplicação dos recursos públicos nos Portais da Transparência do Estado do Ceará e de cada município. Lá é possível verificar se os bens e serviços pagos pelo Governo do Estado e pelas Prefeituras estão sendo entregues. Os Portais foram criados pela Lei Complementar 131, também conhecida como Lei da Transparência, que obriga a União, os estados e os municípios a divulgar seus gastos na Internet em tempo real.

Como denunciar

Denúncias relacionadas ao combate à pandemia podem ser enviadas para o e-mail covid19.denuncia@mpce.mp.br. Todas as ações do MPCE neste tema podem ser encontradas em www.mpce.mp.br/coronavirus, assim como os contatos de emergência das Promotorias de Justiça, órgãos de apoio e de investigação.

terça-feira, 2 de junho de 2020

Jovem morre vítima de câncer em Irapuan Pinheiro (CE)

O jovem Elison Lima morreu nesta terça-feira (2), em Irapuan Pinheiro (CE), quando tentava se recuperar de um terrível câncer na coluna e no pulmão. Ele tinha apenas 29 anos.

Nas redes sociais o clima é de consternação, com a precoce partida de Elison. Pêsames à família!

Com 1.262 mortes em 24h, Brasil bate novo recorde e chega a 31.199 vítimas do novo coronavírus

O Brasil bateu, nesta terça-feira, um novo recorde na pandemia do novo coronavírus. Foram 1.262 mortes confirmadas em 24 horas. Com isso, o número de óbitos chega a 31.199 no País. Foram incluídos 28.936 casos de contágio, levando o saldo acumulado para 555.383 infectados.

O aumento dos casos e dos óbitos ocorre no momento em que diversos estados começam a relaxar a quarentena, após meses de confinamento.

APAE de Piquet Carneiro (CE) recebe doações de alimentos

A imagem pode conter: Bismarck Barros Bezerra
A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Piquet Carneiro, recebeu nessa terça-feira (26/05) doações de alimentos para ser destinadas as famílias dos alunos apaeanos do município. A APAE é cadastrada no Serviço Social do Comércio (SESC) onde renova seu cadastro anualmente junto a Rede Nacional de Bancos de Alimentos – Mesa Brasil SESC, situação pelo qual sempre recebe doações oriundo de eventos os mais diversos.

Em razão do período de Pandemia ocasionado pelo o Novo Corona Vírus (Covid-19), muitos artistas musicais estão realizando diversas LIVES beneficentes, e uma delas foi a do cantor Cearense Wesley Safadão (WS) que em sua última apresentação recebeu doações da Fábrica Cearense MD Biscoitos, e todas as doações de alimentos foram destinadas ao Mesa Brasil SESC, onde todas as APAES do Ceará foram contempladas, incluindo Piquet Carneiro que foi contemplada com os alimentos – Biscoitos e Leite, onde beneficiou diretamente 62 famílias dos alunos apaeanos.

Importa dizer que, o Mesa Brasil SESC – é um Programa de Segurança Alimentar e Nutricional, baseado em ações educativas e de distribuição de alimentos, e tem como principal perspectiva a inclusão social. Além disso, para receber doações, as Organizações Não Governamentais (ONGs) precisam manter seus cadastros sempre atualizado, bem como também serem legalmente reconhecidas, razão pelo qual recebem as devidas doações e apoio.

De acordo com a atual Coordenadora, Rochelli Marques, "a APAE de Piquet Carneiro recebe essas doações com muita alegria, tendo em vista que chega em um momento onde toda e qualquer ajuda é sempre bem-vinda, e, desde já, manifestamos nossa gratidão ao SESC pela oferta dos alimentos através da LIVE do WS, e que mesmo diante de uma Pandemia continuamos com o nosso papel enquanto apaenos que é manter esta Instituição com o devido zelo e qualidade para que possamos está sempre recebendo apoios, doações e benefícios em prol de nossas eternas crianças apaenas”.

Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Piquet Carneiro

Prefeitura de Piquet Carneiro (CE) publica nota de esclarecimento

A imagem pode conter: texto

Prefeitura de Irapuan Pinheiro (CE) investe na melhoria da malha viária do município

O prefeito de Deputado Irapuan Pinheiro (CE), Claudenilton Pinheiro, anunciou na sua conta de facebook que está trabalhando com toda equipe para melhorar a malha viária do município. 

O gestor irapuense citou como um dos muitos exemplos a comunidade de Machado que vai ganhar obra de reforma da passagem molhada no Riacho do Sangue. 

Os esforços empreendidos pela a atual administração municipal garantem mais acesso para os moradores da zona rural de Irapuan Pinheiro.

veja o vídeo:

Ceará tem 53 mil casos de coronavírus e 3,4 mil mortes em decorrência da doença

O Ceará contabiliza 53.073 casos de Covid-19 e 3.421 mortes em decorrência da doença, até às 14h55min desta terça-feira (2), segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). Do número de infectados pelo novo coronavírus, 35.184 já estão recuperados no Estado.

Nem todos os casos e falecimentos, contudo, foram registrados nas últimas 24 horas , conforme esclarece a Sesa. No informe há registros de dias anteriores que foram confirmados somente agora.

A letalidade da doença está em 6,4% e o no Estado foram realizados, até o momento, 124.791 exames para detecção da doença.

Pré-candidato a prefeito de Quixelô (CE), Samuel Araújo, faz alerta a juventude daquele município

Centro Sul – Samuel Araújo é o nome do PSD em Quixelô para ...
O pré-candidato a prefeito de Quixelô, Samuel Araújo (PSD) usou as redes sociais para fazer um alerta aos jovens daquele Município.

"Atenção JOVENS do Nosso Quixelô, nesta terça visitei o terreno que seria destinado para implantação do DISTRITO INDUSTRIAL, um sonho de cada jovem que busca uma oportunidade de EMPREGO.

Infelizmente, a prefeita Fátima ganhou as duas eleições mentindo para essa juventude, prometendo desde 2013 que esse sonho seria realizado e os jovens teriam oportunidades no próprio Quixelô.

A realidade é outra. Já são 8 ANOS, a prefeita Fátima foi ELEITA, REELEITA e a nossa juventude continua sofrendo, tendo, inclusive, que se mudar para outros estados na busca de emprego, sofrendo muito pelo distanciamento familiar e da nossa terrinha.

A juventude do nosso município termina os estudos, faz curso, se prepara e precisa de oportunidades, quer trabalhar, não aceita mais ser enganada e usada por gestão que busca apenas o poder.

Vou continuar cobrando. Precisamos de políticas públicas para nossa juventude, precisamos gerar empregos e renda no nosso amado QUIXELÔ.

Nossa Juventude é forte e continuará acreditando em um futuro melhor e cheio de oportunidades.

#SamuelAraújo
#OHomemdoPovo

Acompanhe o video:

Acopiara registra quase 20 novos casos confirmados da Covid-19


A cidade de Acopiara registra agora 91 casos confirmados da Covid-19, de acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde do município, nesta terça-feira (2). Até esta segunda-feira (1), 75 casos eram confirmados.

Destes, 56 casos se encontram na zona urbana, enquanto a zona rural registra 35. Chama a atenção os 23 casos registrados no distrito de Trussu, mais do que no centro da cidade. As mortes permanecem em 6.

'Minha indicação foi técnica', afirma novo presidente do BNB

O novo presidente do Banco do Nordeste, Alexandre Cabral, afirmou que sua indicação para o cargo "foi técnica", resultado da "experiência exitosa quando esteve na Casa da Moeda" e não tem relação com a aproximação dele com representantes do grupo político conhecido como Centrão.

"O Alexandre Cabral foi indicado para a Casa da Moeda pelo Roberto Jefferson, foi indicado para o Banco do Nordeste pelo Valdemar da Costa Neto, do PL. Eu gostaria de declarar que eu não conheço esses dois cidadãos, não tenho telefone, não mantive contato. Isso absolutamente não é verdadeiro. A minha indicação, foi uma indicação técnica", afirmou no discurso de posse, que aconteceu na manhã esta terça-feira (2), na sede do BNB, em Fortaleza.

A informação de que o Banco estaria sendo usado como moeda de troca entre o presidente Jair Bolsonaro e os representantes do Centrão a partir de uma aproximação política entre as partes, surgiu no fim de semana, quando o nome de Cabral foi mencionado.

"Alguém saiu emitindo sistematicamente isso e parece aquela história de que se você falar muitas vezes a mesma história acaba sendo verdade. Não é verdade. A nossa indicação aqui foi meramente técnica, pra fazer uma gestão técnica, para obter resultados e trazer o desenvolvimento sustentável para a Região Nordeste", reforçou.

Currículo

Segundo o perfil profissional divulgado pelo BNB, Alexandre Cabral tem 34 anos de experiência na ala financeira e é funcionário de carreira do BNB. Ele também presidiu a Casa da Moeda do Brasil (2016-2019) e coordenou a Área de Atração de Investimentos do Governo do Estado do Ceará (2004-2007). Recentemente, atuava como executivo no Escritório de Promoção e Atração de Investimentos e Relacionamento Institucional do Banco do Nordeste, no Rio de Janeiro.

Alexandre Cabral é administrador, formado pela Universidade Estadual do Ceará (Uece) com MBA pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais, curso de Avaliação Financeira e Economia de Projetos Industriais, pela Universidad de Los Andes, na Colômbia, e especialização nas áreas de Crédito Rural, Crédito Industrial e Crédito à infraestrutura, pelo Banco do Nordeste.