quarta-feira, 13 de julho de 2016

Justiça Eleitoral confirma cinco pesquisas registradas no Ceará

Com a proximidade da eleição municipal em outubro próximo, as pesquisas eleitorais começam a ser realizadas em todo o País como uma das formas de guiar os pretensos candidatos no processo eleitoral que vai escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. No Ceará, segundo dados da Justiça Eleitoral, até o momento, foram contabilizadas cinco pesquisas, sendo uma referente a Fortaleza e outras quatro sobre cidades do Interior.

De acordo com informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em todo o Brasil, de janeiro ao dia 12 de julho, foram registradas 816 pesquisas eleitorais. Nas eleições municipais de 2012, no mesmo período, foram apontadas 1.013 pesquisas.

O registro das pesquisas eleitorais é obrigatório desde o dia 1º de janeiro deste ano em razão de o primeiro turno ocorrer no dia 2 de outubro e o segundo turno estar previsto para o dia 30 do mesmo mês. A legislação eleitoral prevê que pesquisas de opinião pública relativas às eleições ou a possíveis candidatos, para conhecimento público, são obrigadas a serem registradas no juízo eleitoral competente para o registro das candidaturas.

A divulgação sem o prévio registro e a eventual divulgação de pesquisa fraudulenta constituem crimes puníveis com detenção de seis meses a um ano e multa de R$ 53.205,00 a R$ 106.410,00.

Municípios

A primeira pesquisa no Ceará para este pleito foi realizada em maio em Mombaça, por solicitação do PMDB, para consultar a intenção de votos para prefeito e vereador. Entre os candidatos para cargo majoritário citados estão Dr. Nelson, Dudu Eleotério, Roberto Távora e Ecildo Filho (PMDB), atual prefeito. O questionário, feito pela empresa Ibope Inteligência Pesquisa e Consultoria, de São Paulo, ouviu 301 entrevistados.

Em julho, foi realizada uma pesquisa na Capital para avaliar a gestão do prefeito Roberto Cláudio (PDT) e a intenção de votos para a disputa majoritária. O questionário escutou 806 pessoas entre os dias 6 e 9. No site do TSE consta que tanto o contratado quanto o contratante do estudo é o Instituto Verita de Minas Gerais, que hoje também tem unidade no Ceará.

Na eleição geral do ano de 2014, este mesmo instituto se envolveu em uma polêmica na divulgação de pesquisa para presidente em que o então candidato Aécio Neves (PSDB) teria utilizado dados enganosos apontando liderar as intenções de votos no Estado de Minas Gerais.

Fonte: Diário do Nordeste
Postar um comentário