TV Meu Xodó - A TV da nossa gente!

domingo, 26 de abril de 2020

Insumos hospitalares vindos da China deve suprir demanda do estado por três meses

A carga de 90 toneladas de insumos hospitalares, que chegou ao Ceará vinda da China neste domingo (26) possui uma quantidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPIS) suficiente para suprir a demanda para profissionais da Saúde pelos próximos três meses no estado, segundo o secretário da Saúde Carlos Roberto Rodrigues Martins Sobrinho, o Dr. Cabeto. O gestor da pasta estadual afirmou ainda que 40% desse material vai para municípios do interior e 60% fica na capital cearense.

"Essas 90 toneladas estão dentro do planejamento do estado, inclusive de auxílio aos municípios, para que a gente possa ampliar e garantir segurança a todos os profissionais de saúde. Essa carga foi planejada para os próximos três meses. Nós temos uma carga de EPIs que se planeja para três meses", garantiu.

O material, que inclui testes rápidos para detectar Covid-19, começa a ser distribuído nesta segunda-feira (27), levando-se em conta as cidade com maior número de casos e a densidade populacional.

"Esses testes nós vamos mandar para os municípios que estão começando a ter um maior número de casos e vamos centralizar primeiro nos hospitais, testar os profissionais da segurança e os casos suspeitos. Vamos disponibilizar nas Upas para aqueles que tenham mais de cinco dias de sintomas. Agora, vale ressaltar que esses testes vão se juntar a outros 120 mil que serão feitos inclusive com drive thru”.concluiu.

Respiradores
Dr. Cabeto informou ainda que aguarda confirmação da China para a entrega de 200 respiradores até o próximo dia 4 de maio em Fortaleza.

"O estado do Ceará se antecipou comprando respiradores a um custo bem menor do que a maioria dos outros estados", disse. "O custo médio de um respirador é em torno de US$ 43 mil e compramos por US$ 23 mil. Há previsão da entrega de 200 respiradores dia 30 de abril no aeroporto de Pequim e, se tudo der certo, dia 4 ou 5 de maio chegam ao estado", explicou.

Nenhum comentário: