quarta-feira, 7 de junho de 2017

Temer muda versão sobre suposta viagem em jato de Joesley Batista

O presidente Michel Temer (PMDB) mudou, nesta quarta-feira (7), a versão sobre o uso de uma aeronave particular em 2011. Segundo Joesley Batista, um dos donos da JBS e que fez acordo de delação premiada, o jato pertencia a ele.

Ontem, em uma primeira versão, a assessoria da Presidência afirmou que Temer, então vice-presidente, utilizou um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) para viajar de São Paulo para Comandatuba, na Bahia, no dia em 12 de janeiro de 2011.

Em uma segunda nota, divulgada hoje, a assessoria de Temer mudou a versão e diz que o avião utilizado era particular. O texto ainda confirma que a atual primeira-dama, Marcela Temer, também viajou, porém, não diz a quem pertencia o jato. "O vice-presidente não sabia a quem pertencia a aeronave e não fez pagamento pelo serviço", diz a nota.

De acordo com diário de bordo do avião particular de Joesley, sete pessoas estavam no jatinho no voo de volta, entre elas Temer e sua família. O documento foi entregue por Joesley aos investigadores da Lava Jato. Nele, foram encontradas duas menções à "Família Senhor Michel Temer".

Segundo o jornal "Folha de S. Paulo", em depoimento à PGR (Procuradoria-Geral da República), Joesley afirmou que o casal Temer viajou em jato particular do executivo da JBS. A informação foi revelada inicialmente pelo site "O Antagonista".

O executivo gravou conversa com o presidente. A deleção deu origem a investigação aberta contra Temer com autorização do STF (Supremo Tribunal Federal).

O diário de bordo do jatinho foi entregue por Joesley à PGR na delação premiada com o objetivo de mostrar que ele e Temer eram próximos, ao contrário do que alega o presidente.

Em recente entrevista à "Folha de S. Paulo", Temer reconheceu que conhecia o executivo antes da conversa que tiveram no Palácio do Jaburu, em março deste ano, mas disse que ele é um "falastrão", "uma pessoa que se jacta de eventuais influências".

Leia a nota divulgada pela Presidência nesta quarta-feira:

"O então vice-presidente Michel Temer utilizou aeronave particular no dia 12 de janeiro de 2011 para levar sua família de São Paulo a Comandatuba, deslocando-se em seguida a Brasília, onde manteve agenda normal no gabinete. A família retornou a São Paulo no dia 14, usando o mesmo meio de transporte. O vice-presidente não sabia a quem pertencia a aeronave e não fez pagamento pelo serviço."

Uol Notícias
Postar um comentário