quinta-feira, 8 de junho de 2017

Relator no TSE vê abuso de poder na chapa Dilma-Temer, mas adia conclusão de voto

O relator do processo de cassação da chapa Dilma-Temer no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Herman Benjamin, afirmou durante a leitura de seu voto nesta quinta-feira (8) que a campanha vitoriosa nas eleições de 2014 recebeu dinheiro de propina da Petrobras e incorreu no crime de abuso de poder econômico e político por ter recebido esses recursos ilegais.

Segundo o relator, isso ocorreu tanto por meio de caixa dois (doações não declaradas) como por doações oficiais feitas com dinheiro de propina de contratos da estatal. Benjamin vai concluir seu voto na manhã desta sexta (9), quando o julgamento será retomado, e os outros seis ministros que julgam o caso também vão se manifestar. A previsão é que o julgamento que pode cassar o mandato do presidente Michel Temer (PMDB) termine nesta sexta.

Uol
Postar um comentário