sábado, 17 de junho de 2017

Ex-governadora do RN, Wilma de Faria morre aos 72

Wilma de Faria, governadora do Rio Grande do Norte, dá entrevista a jornalistas chegando à Granja do Torto, em Brasília (DF). (Brasília (DF), 20.11.2002, às 12h10. Foto de Alan Marques/Folhapress. Digital)
Governadora do Rio Grande do Norte por dois mandatos, entre 2003 e 2010, Wilma de Faria morreu na noite desta quinta-feira (15) em Natal, aos 72 anos.

Ela cumpria mandato de vereadora em Natal pelo PTdoB desde o início deste ano, mas estava afastada do cargo desde abril para tratamento de um câncer no sistema digestivo.

Nascida em Mossoró, segunda maior cidade do Estado, Wilma era professora da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte). Casou-se com Lavosier Maia, que foi governador do RN entre 1979 e 1982.

Iniciou a vida pública como primeira-dama, período em que coordenou o Movimento de Integração e Orientação Social do Estado.

Entre 1983 e 1985, foi secretária de Bem Estar Social do governo de Agripino Maia. Em 1986, foi eleita deputada federal pelo PDS, em seu primeiro cargo eletivo.

Em 1988, foi eleita prefeita de Natal pelo PDT. Depois de cumprir o mandato e eleger seu sucessor, Wilma volta à prefeitura em 1996, sendo reeleita para o cargo em 2000.

Foi eleita governadora do Estado em 2002 pelo PSB, cargo para o qual foi reeleita em 2006. Nas eleições seguintes, em 2010 e 2014, foi derrotada na disputa para o Senado. Entre 20013 e 2016 foi vice-prefeita de Natal na gestão do prefeito Carlos Eduardo (PDT).

O velório de Wilma de Faria foi realizado no Palácio Potengi, sede do governo do Estado. O sepultamento ocorreu no Cemitério Morada da Paz, às 20h.

O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), decretou luto oficial de três dias e emitiu na qual afirma que a ex-governadora "foi uma das mais relevantes mulheres na política nacional e tornou-se referência da força feminina".

O senador Garibaldi Alves (PMDB), aliado político de Wilma, a classificou como "uma mulher forte, obstinada e carismática". "A notícia de sua morte entristece o Rio Grande do Norte. Peço a Deus conforto para sua família nesse momento de dor".

O PTdoB, que recentemente mudou o nome para Avante, também emitiu nota lamentando a morte de Wilma de Faria.

Folha de S.Paulo
Postar um comentário