TV Meu Xodó - A TV da nossa gente!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2021

Tendência no Ceará é de volume de chuva abaixo da média no trimestre, diz Funceme

O Ceará tem 50% de oportunidade de chuvas abaixo da média histórica nos meses de fevereiro, março e abril de 2021. O prognóstico foi divulgado pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) na manhã desta quarta-feira (20).

A situação é mais preocupante na região onde ficam os maiores açudes do Ceará, Castanhão e o Orós, onde a previsão é de menos chuvas que nas demais áreas.

De acordo com as análises das condições atmosféricas e oceânicas, além dos resultados de modelos numéricos globais e regionais e de modelos estatísticos de diversas instituições do Brasil, como Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), o Ceará tem ainda 40% de chances para precipitações dentro da média e 10% acima dela.

Os meses de janeiro a março abrangem a maior parte da quadra chuvosa no estado. Em 2020, por exemplo, o Ceará teve um volume de chuva acumulado no ano de 968 milímetros; desse total, 644 milímetros (66%) ocorreram apenas no período de fevereiro a março. (Veja mais detalhes no gráfico abaixo.)

"Os meses de dezembro e janeiro marcam a pré-estação no Ceará. Até aqui, janeiro tem sido de chuvas abaixo da média, apesar das precipitações nos últimos dias. As precipitações vão se concentrar nas regiões do Cariri e Ibiapaba", afirmou o presidente da Funceme, Eduardo Sávio Martins.

De acordo com dados da Funceme, a média para o bimestre é de 130,3 milímetros, sendo 31,6 correspondentes às chuvas em dezembro e 98,7, em janeiro. A qualidade das precipitações nesta época não têm relação com o resultado dos meses seguintes.

G1/CE

Nenhum comentário: