TV Meu Xodó - A TV da nossa gente!

quinta-feira, 3 de setembro de 2020

Morte de João do Povo: Ex-assessor Kleber Freitas acredita que há mais envolvidas no crime

Kleber Freitas, ex-assessor de João Gregório (João do Povo), prefeito de Granjeiro assassinado a tiros em 24 de dezembro de 2019, falou pela primeira vez após o indiciamento na justiça de 17 pessoas envolvidas no crime.

Ele, que estava na lista de marcado para morrer, devido à convivência com João do Povo, acredita que há mais pessoas envolvidas no crime e que o trabalho de perícia da polícia em telefones apreendidos nas fases anteriores da investigação, ainda podem revelar quem são essas pessoas. “Acredito que tem mais de 30 pessoas envolvidas na morte de João do Povo”, disse.

Kleber Freitas destacou que na página 91, do inquérito policial, uma mensagem teria partido de Gudy Filho, filho do ex-prefeito de Granjeiro, Dr. Gudy, para o telefone de Ticiano Tomé com a seguinte mensagem “óbito confirmado”. O ex-prefeito Dr. Gudy também era inimigo político de João do Povo. Ele nega envolvimento com o crime.

Ticiano, era vice-prefeito de João do Povo. Ele é filho do ex-prefeito Vicente Tomé e romperam politicamente com João do Povo. Com a morte de João do Povo, Ticiano assumiu a prefeitura da cidade. Com o andamento da investigação, foi preso juntamente com o pai acusado de serem mandantes e autores intelectuais do crime, numa morte que o inquérito aponta 17 envolvidos.

Kleber Freitas disse que o processo está em andamento e que com o indiciamento dos envolvidos, a justiça ouvirá a defesa de cada um. Freitas cobra pena máxima para todos os acusados da morte do prefeito João do Povo.

Recentemente, Kleber Freitas foi lançado pré-candidato a vice-prefeito de Granjeiro, com o pré-candidato a prefeito Chico Clementino. Ele disse que inicialmente, pretendia disputar uma vaga de vereador e que não tinha pretensões de lançar pré-candidatura a vice-prefeito. Porém, com as ameaças recebidas, houve entendimento no grupo político de que esse seria o melhor caminho para ele.

Sobre as ameaças de morte, Kleber disse que não se arrepende da luta para levar para a cadeia as pessoas que mataram João do Povo e declarou que não tem medo, mas tem tomado cuidados para ele e para sua família.

Com relação à política, destacou que não há como não envolver a morte de João do Povo noutro cenário, se o crime está sendo apurado como crime político e as pessoas presas, são políticas. “No Granjeiro, temos dois grupos político. Um liderado pelo Dr. Soares [ex-prefeito Dr. José Soares de Macedo], e ou outro grupo liderado por Vicente Tomé e sua família, diretamente acusados no crime, e pelo Dr. Gudy”, disse.

Com relação ao clima na cidade, Freitas pontuou que está mais calmo após a prisão do que chamou de “quadrilha”, que vinha espalhando pânico, ameaças a pessoas.

Ele disse que espera um clima acirrado na campanha, mas que a missão do grupo do qual faz parte é levar para o povo do Granjeiro uma mensagem de pacificação e que a cidade precisa retomar projetos de desenvolvimento.

Nenhum comentário: