TV Meu Xodó - A TV da nossa gente!

terça-feira, 8 de setembro de 2020

Ceará tem 8.567 óbitos por Covid-19; casos confirmados superam 222,5 mil

O Ceará chegou a 222.577 casos confirmados da Covid-19 e 8.567 mortes em consequência da doença. O número de pessoas recuperadas está em 197.977. Os números são da plataforma IntegraSUS, atualizada às 9h18 desta terça-feira (8) pela Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa).

A mortalidade da infecção no Estado, proporção entre os índices de casos e mortes, está em 3,8%. A plataforma indica que não ocorreram óbitos pelo novo coronavírus nas últimas 24h.

Há ainda 86.370 casos em investigação e 599 mortes suspeitas. Desde o início da pandemia, já foram notificados 671.749 casos. O Ceará já aplicou 665.058 testes para diagnosticar a infecção.

A ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Estado está em 55,71%. Nos leitos de enfermagem, a ocupação é de 32,02%.

As maiores incidências de casos confirmados de Covid-19 por 100 mil habitantes são registradas em Acarape (10.382,5), Frecheirinha (10.098,1), Groaíras (6.423,9), Chaval (6.075,4) e Moraújo (5.547,9).

Cidades

Fortaleza contabiliza os maiores números absolutos da Covid-19, com 47.509 casos confirmados e 3.805 mortes pela doença, com uma incidência de 1.779,8 casos para cada 100 mil pessoas.

Juazeiro do Norte, no Cariri, concentra 14.558 diagnósticos positivos, 265 mortes e incidência de 5.320,1. Em Sobral, na Região Norte, já foram confirmados 11.460 casos, 298 óbitos e a incidência é de 5.485.

Na Região Metropolitana de Fortaleza, Maracanaú registra 6.518 confirmações da doença, 238 mortes e incidência de 2.860,2. Caucaia, segunda cidade em óbitos, já confirmou 5.619 casos da infecção, 339 falecimentos e tem incidência em 1.554,8. Em Maranguape, 4.662 pessoas já foram infectadas, 115 não resistiram à Covid-19 e a incidência está em 3.614,6.

Os números divulgados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detecção da presença do vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Nenhum comentário: