TV Meu Xodó - A TV da nossa gente!

segunda-feira, 22 de junho de 2020

Ceará quer produzir Mirtilo, uma fruta saborosa que reduz o colesterol

Terra com boas manchas de solo para a fruticultura e de gente trabalhadora, abençoada e sempre disposta ao trabalho, o Ceará está descobrindo - graças à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedet) - os segredos e virtudes do Mirtilo, uma frutinha de cor azul, que, além de ótima como alimento, é melhor ainda como redutor dos níveis de colesterol e de açúcar no sangue.

E ainda previne inflamações, pois é um potente antioxidante.

O agrônomo Sílvio Carlos Ribeiro, secretário Executivo de Agronegócio da Sedet, que está à frente do projeto de tornar o Ceará um grande produtor de Mirtilo, promoveu há quatro dias vídeo conferência que reuniu a comunidade empresarial da agricultura estadual, para a qual falou o professor doutor Osvaldo Yamanishi, da Universidade de Brasília (UNB), um especialista nessa cultura.

Yamanishi surpreendeu, ao revelar que o Ceará tem grande potencial de produção do Mirtilo em suas regiões de serra, como a da Ibiapaba e a de Baturité, por exemplo.

Ele revelou mais: o ciclo de produção dessa saborosa fruta azul, que demanda pouca água, é fácil e rápido - sua primeira colheita realiza-se em apenas um ano.

Para o pequeno produtor cearense - Yamanishi disse - será a sopa no mel, uma vez que o lucro é garantido.

E para os que duvidam, Sílvio Carlos Ribeiro expõe alguns números: nos EUA, onde há 50 mil hectares de Mirtilo cultivados, colhem-se anualmente 500 mil toneladas/ano, todas consumidos pelo mercado interno norte-americano.

Tem mais: Há 10 anos, o Peru, nosso vizinho a Oeste, nem conhecia o Mirtilo. Agora, os peruanos produzem e exportam 150 mil toneladas/ano, equivalentes a US$ 900 milhões, mais do que as exportações de todas as frutas frescas brasileiras.

Acompanhando com atenção a vídeo conferência do professor Yamanishi, os empresários Edson Brok, sócio e diretor da Tropical Nordeste, que produz e exporta banana nanica na Chapada do Apodi e tomate na Ibiapaba, e Luís Roberto Barcelos, sócio e diretor da Itaueira, que produz e exporta melão no CE, RN, PE e PI, manifestaram interesse nesse negócio, que, de acordo com Sílvio Carlos Ribeiro, pode, em curtíssimo prazo, mudar a paisagem da Ibiapaba e do Apodi e engordar a balança comercial do estado.

Nenhum comentário: