TV Meu Xodó - A TV da nossa gente!

quinta-feira, 5 de março de 2020

Ferrão surpreendeu o Leão com início fulminante

Com três semanas de treinamento, o Ferroviário teve uma longa preparação para o Clássico das Cores de ontem. E pelo visto, a estratégia coral foi surpreender o Fortaleza, sendo agressivo logo no início de jogo. E deu tudo certo.

Confusão na arquibancada, tabu e clima tenso: cinco fatos de Fortaleza x Ferroviário além do jogo
O time coral saiu na frente logo com dois minutos, gol contra de Quintero, e segurou o resultado, ganhando uma partida vital para sua classificação para as semifinais.

Com o resultado, o time coral ultrapassou o Fortaleza, chegou aos 10 pontos e ainda tirou a invencibilidade do rival no Campeonato Cearense, o deixando em 3º com 9.

Logo que a bola rolou no PV, o Ferrão mostrou que não estava para brincadeira. Com um minuto, Magno arriscou de longe para defesa de Felipe Alves. Mas na cobrança de escanteio, Juan Quintero se antecipou ao goleiro e marcou contra: 1 a 0.

Após o gol, o Ferroviário recuou naturalmente, visando sair nos contra-ataques puxados por Wellington Rato, Yago e Tito. Mas foram raros os momentos em que o Ferrão conseguiu encaixar um contragolpe e chegar ao gol rival.

Assim, o jogo ficou à feição do Tricolor de Aço, exercendo uma pressão ao gol de Nícolas por toda sequência da etapa inicial. Só que com um time misto, a naturalidade e qualidade na saída de bola, sem Juninho, e as passagens dos velozes atacantes de lado, sem Osvaldo, sumiram.

Assim, o Leão foi um time desorganizado, apesar do esforço dos jogadores. O 4-2-4 de Ceni, que funciona muito bem com o Tricolor com força máxima, não funcionou, já que Felipe e Derley tinham dificuldade na saída de bola. Tanto é que com 30 minutos, Ceni tirou Derley para pôr em campo Nenê Bonilha, ganhando mais qualidade na criação.

Só que o setor de frente também não estava em uma noite inspirada: Madson, Romarinho e Deivid não conseguiam finalizar suas jogadas e Edson Cariús desperdiçou suas chances. Na primeira, ele acertou o travessão, e logo depois, exigiu grande defesa de Nícolas na segunda.

Vitória

Na etapa final, o Leão continuou pressionando, ainda mais após a alteração do treinador do Ferroviário, Anderson Batatais, tirando um atacante - Yago - e lançando um zagueiro (Igor João) com apenas 11 minutos.

Com isso, o jogo foi um verdadeiro ataque contra defesa, mas com a desorganização ofensiva do Fortaleza, a tarefa coral na manutenção do resultado foi facilitada. Ao conseguir, o grupo comemorou a bela vitória no Clássico.

Nenhum comentário: