TV Meu Xodó - A TV da nossa gente!

segunda-feira, 24 de junho de 2019

Jogos disputados marcam fase inicial da Copa América

Quando Chile x Uruguai e Equador x Japão entrarem em campo, logo mais às 20h, no Maracanã, estarão fechando a fase de grupos da Copa América. O confronto, um dos mais esperados desta primeira fase, é uma espécie de prêmio para a competição que, se não foi de tirar o fôlego até agora, teve seus bons momentos. Os altos preços dos ingressos culminaram em estádios com baixo público. Essa foi a marca negativa da primeira fase da Copa América no Brasil.

Mas, o que ninguém pode dizer é que não tivemos disputa. Com ausência do futebol brilhante dos favoritos, aliado ao empenho tático dos mais fracos, a competição está equilibrada. Das doze seleções participantes, apenas a Bolívia, que estava no grupo do Brasil, não conseguiu pontuar nos três jogos. O Equador, que ainda vai jogar hoje, também não pontuou. E apenas duas seleções, Colômbia, que venceu ontem, e o Chile, que joga logo mais, estão com cem por cento de aproveitamento. E também foram as únicas que chegaram à última rodada com a classificação garantida para as quartas de final.

Conto do Cisne

A Seleção Chilena, aliás, tem uma curiosa e vitoriosa relação recente com a Copa América. Os atuais bicampeões venceram em casa, em 2015 e, em 2016, na Copa América centenária, nos Estados Unidos. Os títulos para o Chile, foram uma espécie de "Canto do Cisne", uma expressão que surgiu de uma crença antiga em que o cisne, ao pressentir a chegada da morte, deixava de ser mudo e cantava uma bela canção de despedidas.

A seleção, óbvio, está aí, mas não se classificar para a Copa do Mundo da Rússia foi um duro golpe em uma das mais talentosas gerações do futebol chileno. O Chile, na verdade, quer ser Fênix, que segundo a mitologia grega, era uma ave que morria, mas ressurgia das cinzas. E a Copa América parece ser o cenário perfeito para La Roja.

Mas nenhuma outra seleção se sente mais dona da Copa América que o Uruguai. Com quinze títulos, é a maior vencedora do torneio, quase o dobro de conquistas do Brasil que tem oito. A celeste olímpica, diferente do adversário de hoje, ainda não está classificada, mas um empate é o suficiente para chegar as quartas de final.

O início avassalador e impiedoso com o 4 x 0 sobre o Equador, foi freado pelo frustrante e polêmico empate por 2 x 2 com o Japão na rodada passada. O Uruguai é daquelas seleções que, salvo um jogador ou outro, é possível conhecer o time decorado, principalmente o ataque com Edinson Cavani e Luis Suárez.

Se você ainda não ficou empolgado com a Copa América, Chile x Uruguai é uma boa oportunidade para isso.

Com ausência do futebol brilhante dos favoritos, aliado ao empenho tático dos mais fracos, a competição está equilibrada. O fator negativo da competição é a ausência de um grande público.

DN Online

Nenhum comentário: