TV MEU XODÓ - A TELEVISÃO DE ACOPIARA

quinta-feira, 9 de maio de 2019

Ceará fecha com alta de 15% as exportações do primeiro trimestre deste ano

O Ceará registrou uma alta de 15% nas exportações no primeiro trimestre deste ano, se comparado a igual período do ano passado. Foi o maior crescimento entre os 15 estados que mais exportam no Brasil, informa o Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado. O total exportado de janeiro a abril deste ano foi de US$ 735,2 milhões. Apenas no mês de abril, foram exportados US$ 175,8 milhões, montante 6,7% superior ao contabilizado em março deste ano.

Em relação às importações, o crescimento mês a mês foi significativo. Em abril, o estado importou US$ 196,6 milhões, total 66,8% maior do que o do mês anterior. No quadrimestre, as compras do exterior chegaram à marca de US$ 670,4 milhões. Esses movimentos garantem um superávit de US$ 64,8 milhões na balança comercial cearense de 2019.

Em seus dados, o Centro Internacional de Negócios da Fiec revela também que o Ceará é o terceiro maior exportador do Nordeste, atrás de Bahia e Maranhão. Representa 15,2% do total vendido ao exterior pela região. Nas importações, a participação do estado no Nordeste vem decrescendo no decorrer dos últimos 5 anos, saindo de 13,5% em 2015, para 10,6% em 2019. Movimento esse justificado pelo “boom” das importações cearenses em 2015 na implementação da siderúrgica. Apesar de continuar crescendo, o total exportado pelo Ceará em relação ao Brasil ainda representa 1,02%.

São Gonçalo do Amarante

Outro dado interessante. Mais da metade (51,9%) de tudo o que o Ceará exporta é produzido em São Gonçalo do Amarante (RMF). A cidade sede do Complexo Industrial e Portuário do Pecém exportou, de janeiro a abril de 2019, US$ 379,3 milhões, crescimento de 14,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Outro município que tem mostrado protagonismo é Caucaia, segunda colocada nessa lista. Caucaia teve o maior avanço dentre as cidades exportadoras cearenses (465,7%), saindo de US$ 12,6 no primeiro quadrimestre de 2018, para expressivos US$ 71,4 milhões, no mesmo período desse ano.

Acompanhando esse avanço, Sobral e Fortaleza também registraram bom desempenho no período, com altas de 6,8% e 6,3%, respectivamente. O total sobralense exportado foi de US$ 62,5 milhões e a capital registrou US$ 49,7 milhões. A maior queda entre as cidades cearenses foi de Icapuí, que reduziu suas exportações em 68,4%, principalmente devido às mudanças na produção e escoamento de frutas.

Ferro e aço

Mantendo-se como o principal setor das exportações cearenses, o segmento de ferro e aço exportou US$ 380,1 milhões nos quatro primeiros meses de 2019. O setor de pescados, oitavo maior exportador do estado, manteve o ritmo acelerado do início ano, contabilizando US$ 14,1 milhões, mais que o dobro (123,7%) do valor do ano passado. O avanço no setor é justificado pelo alto valor que possuem as exportações de lagostas e outros pescados, como o atum.

Na análise dos principais produtos exportados pelo estado, nota-se que as pás eólicas, classificadas como “partes de outros motores/geradores/grupos eletrogeradores” são o principal destaque de 2019. O total desse produto vendido ao exterior foi 891,6% maior do que o de 2018, chegando à marca de US$ 64,9 milhões, resultado de um processo que abrange empresas com alta tecnologia aliada a eficiência logística. A cera de carnaúba, produto tradicional na pauta exportadora cearense, também vem exibindo um ótimo desempenho neste ano. O montante exportado foi de US$ 29,9 milhões, maior valor dos últimos 7 anos, e com aumento de 56,8% em relação a 2018.

Ceará-EUA

A parceria Ceará-Estados Unidos tem se mostrado cada vez mais importante para a economia do estado. As exportações cearenses para o país norte-americano mais do que dobraram (106%) nos primeiros quatro meses de 2019, em comparação com 2018. Os US$ 371,9 milhões exportados para o país esse ano, representam o maior montante já enviado do Ceará para os Estados Unidos no primeiro quadrimestre.

A Itália, que se concretizou como forte destino das placas de aço produzidas no Ceará, ocupa a segunda posição, com um aumento de 601% e um total de US$ 101,7 milhões. A República Tcheca foi quem exibiu maior crescimento (40 mil pontos percentuais), ocupando a sexta posição com US$ 26,8 milhões, também devido às fortes aquisições provenientes da siderúrgica. Países tradicionais na pauta exportadora do estado como Alemanha, Holanda, Argentina, Reino Unido e China exibiram quedas no período, comparando-se ao ano passado, o que demonstra certa concentração em determinados mercados. Outro índice que evidencia essa concentração é a redução do número de destinos do estado de 130, em 2018, para 126, em 2019.

Nenhum comentário: