TV Meu Xodó - A TV da nossa gente!

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Número de mortes violentas no Ceará cai em 12% em 2018

O número de mortes violentas no Ceará caiu em 12% em 2018, em relação ao ano anterior. Conforme balanço da Secretaria da Segurança Pública (SSPDS), divulgado nesta terça-feira (22), o número de crimes violentos letais e intencionais (CVLIs) no ano passado foi 4.518, enquanto em 2017 o total de mortes do tipo foi de 5.133, uma diferença de 651 mortes.

A maior redução aconteceu em Fortaleza, com um decréscimo de 25,1%, indo de 1.979 casos para 1.482. O Interior Sul do Ceará aparece com queda de 17,4%, passando de 991 mortes para 819. Já na Região Metropolitana, o balanço total foi da queda em 3,7%. A porcentagem se refere à diminuição de 1.290 casos, em 2017, para 1.242 em 2018.

O Interior Norte foi a região que sofreu um aumento no número de ataques contra à vida. Houve um aumento de 11,7% no número de pessoas mortas, indo 873 em 2017 para 975 em 2018.

Balanço de dezembro

Em relação ao mês de dezembro de 2018, todas as quatro regiões apresentaram dimunuição nos CVLIs. Em Fortaleza, houve redução de 47,2%, em comparação ao mesmo mês de 2017, passando de 180 para 95. No Interior Sul, a diminuição foi de 19,2. Em 2017, foram 73 casos, e em 2018, foram 59 crimes.

Na Região Metropolitana, a redução foi de 15,1%, 2017 (126) e 2018 (107). Por último, no Interior Norte, a redução foi de 10,7%. A região diminui de 75 casos para 67, no ano passado.

A diminuição total do Ceará em dezembro foi de 27,8%. Enquanto em dezembro de 2017 foram 454 mortes, em 2018 o mês teve um total de 328 vítimas.

Segundo a SSPDS, a redução no número de mortes violentas é percebida desde abril de 2018. A pasta indica que o ingresso de novos servidores inseridos em comunidades de Fortaleza que concentram os maiores números de crimes foi um dos fatores que contribuíram para a diminuição de crimes. Outros pontos destacados são a compra de equipamentos de ponta como viaturas, coletes e armamentos para os profissionais de segurança, além do uso de tecnologias aplicadas à segurança pública.

Diário do Nordeste

Nenhum comentário: