TV MEU XODÓ - A TELEVISÃO DE ACOPIARA

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Servidores municipais terão reajuste salarial de 3,71% em 2019

Dirigentes do Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort) e outras entidades sindicais estiveram reunidos, nesta segunda-feira, em reunião da mesa central de negociação permanente. No encontro, a categoria garantiu um reajuste de 3,71%, o que deve repor a inflação projetada para 2018, além de um acréscimo no auxílio alimentação. O reajuste terá efeito imediato e já constará na folha dos servidores municipais a partir de janeiro de 2019.

Os dirigentes do Sindifort Nascelia Silva, Eriston Ferreira e Anderson Ribeiro levaram para a mesa a proposta de reajuste de 10,11%, percentual aprovado em Assembleia Geral no último sábado (15) para repor o reajuste não concedido pela prefeitura em 2017.

Porém, diante das sinalizações da gestão, o Sindifort defendeu pelo menos o arredondamento do percentual de reposição da inflação para 4%, o que não foi acatado pela equipe do prefeito Roberto Cláudio. A gestão justificou que os pacotes econômicos nacionais ainda indefinidos para 2019, sobretudo em decorrência da Reforma da Previdência e da Reforma Tributária, impedem a concessão de um reajuste acima da inflação.

Eriston Ferreira, vice-presidente do Sindifort, considera que, neste primeiro momento, foi fundamental garantir pelo menos a reposição da inflação e o acréscimo no auxílio alimentação para que os servidores não fossem ainda mais penalizados. “Mesmo com o reajuste de 3,71% para reposição da inflação, nós do Sindifort reafirmamos que não abriremos mão das nossas perdas salariais acumuladas. Sobre isso, a gestão tem se mostrado aberta para negociá-las futuramente”, afirma o dirigente da entidade.

Uma nova reunião da Mesa Central está agendada para o dia 24 de janeiro, onde serão negociados diversos outros pontos apresentados pelo Sindifort, como a licença prêmio, a garantia de aposentadoria plena dos servidores e a realização de novos concursos públicos.

Nenhum comentário: