TV MEU XODÓ - A TELEVISÃO DE ACOPIARA

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Ciro diz que esta será sua última disputa à Presidência: "já cansei"

8.ago.2018 - Ciro Gomes participa de evento realizado pelo BTG Pactual em São Paulo
Candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes afirmou nesta quarta-feira (8) que esta será a última vez em que participa da disputa ao Planalto.

"Eu paro por aqui. Porque já cansei. Já lutei. Estou entusiasmadíssimo, mas é a última vez que eu vou disputar", disse.

Ciro afirmou, ainda, que ao longo da corrida eleitoral irá dar "tudo o que puder" para "ajudar o país a encontrar o caminho".

A declaração do candidato foi dada durante o evento "Eleições e Perspectivas: Brasil 2018", realizado pelo BTG Pactual em São Paulo. Também estiveram presentes os candidatos Geraldo Alckmin (PSDB), Alvaro Dias (Podemos) e Henrique Meirelles (MDB). Amanhã, os convidados serão João Amoêdo (NOVO) e Fernando Haddad (PT), vice na chapa encabeçada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Esta é a terceira vez em que Ciro concorre à Presidência. Em 1998, quando Fernando Henrique Cardoso (MDB) foi eleito no primeiro turno, Ciro foi candidato pelo PPS e recebeu 10,97% dos votos válidos. Em 2002, quando Lula venceu José Serra (PSDB) no segundo turno, Ciro também foi candidato pelo PPS e teve 11,97% dos votos válidos.

No evento, Ciro afirmou ainda que, se eleito, irá atuar "dentro do marco da Constituição, da democracia, da racionalidade econômica" para "devolver o país a uma condição mínima de confiança no futuro". "Isso é o que nós temos que debater nesse momento", disse.

Sem apoio do centrão
O candidato do PDT também negou que estivesse buscando formar alianças com o centrão, bloco formado por PP, PR, PRB, DEM e Solidariedade, ao dialogar com os partidos.

"Não era nada de que eles viriam comigo. Não há a menor chance de eles virem comigo eleitoralmente, [o que] eles fizeram foi agravar o preço deles para o Alckmin", disse, referindo-se ao fato de o bloco fechar com o candidato tucano.

Segundo Ciro, sua conversa com os partidos aconteceu em defesa de suas propostas para a área econômica.

"Estava conversando com eles sobre a gente encaminhar parte dessas providências agora, entre a eleição e a posse, para que a gente reverta expectativas e antecipe os efeitos disso", afirmou.

Uol

Nenhum comentário: