TV Meu Xodó - A TV da nossa gente!

quinta-feira, 20 de agosto de 2020

Total de cearenses com sintomas gripais tem queda de 59,4%

Cerca de 611 mil cearenses apresentaram algum sintoma gripal no mês de julho. O número equivale a 6,7% da população do estado. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Covid (Pnad Covid), divulgados nesta quinta-feira (20) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número representa queda de cerca de 59,4% em relação ao mês de maio, quando eram quase 1,5 milhão de cearenses (16,5%) com ao menos um sintoma.

Em junho, segundo a mesma pesquisa, eram 8% dos moradores do estado com um sintoma gripal - o equivalente a 730 mil cearenses.

Dentre os 12 sintomas considerados na pesquisa estão: febre, tosse, dor de garganta, dificuldade para respirar, dor de cabeça, dor no peito, náusea, nariz entupido ou escorrendo, fadiga, dor nos olhos, perda de cheiro ou de sabor e dor muscular.

Referente às ocorrências em que esses sintomas aparecem conjugados (ou seja, mais de um por pessoa), houve uma redução de 74,47% entre maio e julho. Foram 4,7 % da população em maio; 1,6% em junho e 1,2% em julho, representando respectivamente 429,2 mil; 146,1 mil e 109,6 mil.

Para a professora e especialista em doenças infecciosas da Universidade Federal do Ceará (UFC), Mônica Cardoso Façanha, a redução se relaciona com os casos de Covid-19, ainda que as ocorrências por doenças respiratórias sejam comuns no primeiro semestre.

“Esses dados confirmam a tendência de queda da transmissão e do adoecimento das pessoas. É possível que, em maio, tivessem outros vírus circulando, mas com certeza o coronavírus era predominante”, afirma.

Mônica percebe a queda como um bom sinal e espera a permanência na redução dos casos da Covid-19 no Ceará para os próximos meses.

Retorno das atividades

A pesquisa também aponta que o Ceará registrou uma diminuição percentual no número de pessoas trabalhando, mas afastadas do local de trabalho devido ao isolamento social. Em maio, eram cerca de 2,3 milhões de cearenses (25,4% do total). Em junho, o total passou para 1,8 milhões (19,8%). E em julho, para 977,132 mil pessoas (10,7%).

Com o retorno gradual das atividades, a especialista em doenças infecciosas recomenda a necessidade de manter o uso de máscaras e o distanciamento social. Em momentos de descanso ou durante as pausas para alimentação, também devem ser evitadas aglomerações.

“O fato de ser amigo e de conhecer não significa que ela não possa transmitir o vírus. No ambiente de trabalho, mesmo em contato com colegas conhecidas há muito tempo, é importante não relaxar”, alerta.

Pesquisa

Os resultados apresentados são referentes a quatro amostras independentes, uma para cada semana do mês de julho, entre os dias 1º e 25. A pesquisa levanta informações de 193 mil domicílios do Brasil, divididos para coleta ao longo das quatro semanas do mês, com média de 48 mil amostras por semana.

Covid-19 no Ceará

O Ceará chegou a 202.422 casos confirmados da Covid-19 e 8.245 mortes em decorrência da doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizada às 14h13 desta quinta-feira (20). O número de pessoas recuperadas é de 173.514. A marca de 200 mil casos foi ultrapassa na quarta-feira (19).

Há ainda 91.099 casos suspeitos e 613 mortes em investigação. O Estado já realizou 579.757 testes para identificar o novo coronavírus. Desde o início da pandemia, foram notificados 598.125 casos.

As maiores incidências de casos confirmados da Covid-19 são registradas em Acarape (9.350,9), Frecheirinha (8.278,9), Groaíras (6.134,8), Chaval (5.998,9) e Moraújo (5.410,4).

Fortaleza concentra os maiores números absolutos, com 45.420 casos confirmados, 3.769 mortes pela doença e uma incidência de 1.701,5. A média de mortes na última semana na capital foi de 1,1 óbitos, sendo esta a 14° semana consecutiva de queda no índice.

Juazeiro do Norte, no Cariri, concentra 12.952 diagnósticos positivos, 250 mortes e uma incidência de 4.723,4. Em Sobral, na Região Norte, já foram registrados 10.757 casos e 294 mortes. A incidência na cidade é de 5.148,5.

Na Grande Fortaleza, Maracanaú tem 5.993 casos positivos, 235 mortes e incidência em 2.629,8. Caucaia, segunda cidade em número de mortes, tem 5.447 diagnósticos positivos, 327 óbitos e incidência de 1.507,2. Em Maranguape, cidade com incidência de 3.369,6, já foram infectadas 4.346 pessoas e 113 não resistiram à doença.

Nenhum comentário: