TV MEU XODÓ - A TELEVISÃO DE ACOPIARA

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Ceará: Imunidade baixa requer prevenção às doenças sazonais

Apesar de representar nossa defesa perante males invisíveis a olho nu, o sistema imunológico também requer atenção para que não seja fragilizado, tornando-se uma porta de entrada para infecções de diferentes origens - incluindo algumas as quais se proliferam com maior facilidade no período de chuvas, sendo consideradas sazonais. A quadra chuvosa que chegou ao Ceará neste ano já trouxe consigo o alerta para enfermidades conhecidas: doenças diarreicas agudas, infecções respiratórias e as arboviroses.

Até o dia 9 deste mês, ao todo, 81 casos de dengue e 17 de chikungunya foram notificados pela Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa). "Em um paciente desprevenido, as doenças sazonais podem se manifestar de forma mais grave. Os pacientes imunossuprimidos, como os que recebem tratamento para câncer e HIV/Aids, os idosos e as crianças pequenas têm a imunidade fragilizada", destaca o infectologista Roberto da Justa, professor do curso de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Nos diagnósticos associados à imunossupressão, os principais "alvos" afetados são as células CD4 - do grupo de diferenciação 4 (cluster of differentiation, em inglês). Conforme o avanço de uma patologia como o HIV, por exemplo, a quantidade de CD4 diminui no organismo. Quanto menos linfócitos CD4, maior a vulnerabilidade do sistema imunológico e, consequentemente, maior o risco de complicações e infecções.

A adoção de determinadas práticas no dia a dia pode ser de grande auxílio para a prevenção de infecções, a fim de evitar "testes" desnecessários à imunidade. "Desde hábitos de higiene adequados, lavagem das mãos antes de se alimentar, até o manuseio adequado dos alimentos, lavagem de frutas e hortaliças. Tudo isso previne as doenças diarreicas", explica o infectologista. Para a prevenção dos males que afetam o sistema respiratório, são recomendados o repouso, em casa, e a vacina da gripe. Já no caso das arboviroses, as medidas tornam-se mais complexas, uma vez que incluem ações de controle de foco dos mosquitos, tanto em iniciativas da população quanto do poder público.

Alimentação

Um paciente da Rede Nacional de Pessoas com HIV/Aids no Ceará (RNP+CE), que preferiu não ser identificado, relata que mesmo aliando uma alimentação balanceada à sua rotina de medicações, os exames ainda apontam fragilidades em seu sistema imunológico.

"Eu tomo os antirretrovirais regularmente e me alimento bem, e mesmo assim tenho imunidade baixa. A médica diz que minha carga viral é indetectável, e que eu não preciso me preocupar, mas a contagem de linfócitos é sempre baixa", revela.

Ainda é importante, porém, manter a atenção à escolha dos alimentos, evitando sobretudo os produtos enlatados, embutidos ou congelados, que tenham sido submetidos a grande quantidade de processos químicos. Frutas, legumes, grãos integrais e verduras são indicados como benéficos à imunidade.

Aviso

A prevenção contra doenças sazonais faz-se ainda mais necessária, segundo Roberto da Justa, devido à impossibilidade de prever qual delas será predominante em cada ano. "Em 2018, tivemos episódios de gripe muito fortes. No ano retrasado, foi chikungunya e zika. Em 2019, não podemos prever. Tivemos a virose da mosca, que não é necessariamente transmitida pela mosca. Ela também é sazonal. Nessa época de muito calor e umidade, há um aumento das doenças de contaminação hídrica", finaliza o infectologista Roberto da Justa.

Diário do Nordeste

Nenhum comentário: