TV MEU XODÓ - A TELEVISÃO DE ACOPIARA

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Pacientes agora podem se tratar em Iguatu: foi implantado o Programa IST/Aids e Hepatites Virais


Image-0-Artigo-2438509-1
Iguatu Pacientes que precisavam se deslocar para Fortaleza em busca de consulta e realização de exames especializados para infecções sexualmente transmissíveis, Aids e hepatites virais, agora podem ser tratados nesta cidade no Centro Microrregional Especializado de Atenção à Saúde Reprodutiva e Sexual (Cemear), unidade da Secretaria da Saúde deste Município do Centro-Sul do Ceará.

A contratação de um médico infectologista e a implantação do Programa Municipal IST/Aids e Hepatites Virais, reduziu os transtornos enfrentados semanalmente por dezenas de pacientes. A unidade oferta consulta especializada com infectologista, exames específicos e fornece medicamentos.

Antes da contratação do médico infectologista, pacientes eram encaminhados para o Hospital São José de Doenças Infecciosas (HSJ), em Fortaleza, para exames especializados e consultas. "Os pacientes sofriam com o cansaço da viagem, às vezes tinham que retornar quando, por algum motivo, o médico não podia atender, além do desgaste emocional e do preconceito que sofriam", frisou a enfermeira Alexandra Araújo Costa, coordenadora do Cemear.

A unidade de atendimento especializado oferece serviços de médico infectologista, enfermagem, assistente social e farmacêutico, realização de teste rápido para hepatites B e C, HIV, sífilis, orientações e distribuição de gel lubrificante, medicamentos, além da realização de palestras educativas.

Francisca Lima, gestante de gêmeos, foi atendida na unidade e disse estar mais tranquila quanto à gestação. "Senti dores, fui internada, mas agora já marcaram o parto e estou mais confiante", contou.

A unidade atende gestantes de alto risco, sexualidade reprodutiva feminina e masculina, mulheres com lesão uterina e disfunção mamária e homens com problemas de próstata e do sistema urinário, por meio do Serviço de Atendimento Especializado (SAE). Durante nove anos, a unidade funcionou sem um médico infectologista e, por todo esse tempo, os pacientes tiveram que se deslocar para Fortaleza em busca de exames e tratamento especializado", frisou secretário da Saúde, Marcelo Sobreira. "O Cemear passou a ser um programa modelo para o Ceará", completou.

Cerca de 80% do atendimento na unidade referem-se aos casos de retrovírus HIV. Atualmente, há cerca de 245 pacientes em atendimento regular. No Ceará, existem 23 centros especializados, sendo 11 na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e 12 no Interior. Iguatu é um deles. Outros estão instalados em Crateús, Limoeiro do Norte, Crato, Juazeiro do Norte, Tauá, Brejo Santo, Sobral, Quixadá, Russas, Aracati e Cascavel.

A taxa nacional de detecção de AIDS, em 2017, foi de 18,5 para cada 100 mil habitantes. Em Iguatu, no mesmo período, chegou a 38,8/100 mil/hab. Os dados locais mostram que o número de infectados é igual entre homens e mulheres, mas prevalece em 52% na faixa etária entre 20 e 35 anos.

Perfil

A maioria dos casos persiste entre jovens, homens que fazem sexo com homens, e muitas vezes associado ao uso de drogas. Os médicos observam que muitos jovens não têm medo da Aids, talvez por não ser mais uma sentença de morte, devido ao tratamento e, por isso, ocorre um descuido, um desuso dos preservativos.

O Programa Municipal de IST/Aids e hepatites virais ainda faz a distribuição de medicamentos para outros municípios da região Centro-Sul do Ceará, funcionando como polo regional.

De acordo com a coordenação, a realização de testes rápidos para HIV e sífilis conquistou o Selo de Qualidade concedido pelo Ministério da Saúde por meio de avaliação externa.

Diário do Nordeste

Nenhum comentário: