TV MEU XODÓ - A TELEVISÃO DE ACOPIARA

domingo, 6 de maio de 2018

Jeane Alves, natural de Acopiara (CE) será a única mulher a competir no Grande Prêmio São Paulo Black Opal 2018

Resultado de imagem para jeane alves Grande Prêmio São Paulo Black Opal 2018
Jeane Alves será a única mulher a competir no Grande Prêmio São Paulo Black Opal 2018, evento que será realizado neste domingo a partir das 12 horas no Jockey Club, em São Paulo, em uma das mais importantes competições do turfe brasileiro. O evento está em sua 94.ª edição e terá como destaque a joqueta que se acostumou a superar obstáculos, vencer barreiras e muitas vezes deixar os adversários comendo poeira.

"Já enfrentei bastante preconceito. Todos os dias acaba escutando alguma piadinha, mas atualmente é bem menos do que quando entrei. As meninas que já competiam antes sofreram mais do que eu. Quando cheguei ainda existia discriminação, mas aos poucos foi diminuindo. Agora as mulheres estão ganhando mais espaço e ganhando competições", disse Jeane Alves, em entrevista ao Estado.

Aos 28 anos, ela está em um momento muito bom nas pistas e neste domingo vai competir nos dois Grandes Prêmios mais importantes do dia - a Milha Internacional, na qual ela montará o cavalo Tupã Ceretã, e o GP São Paulo, que ela estará montando Kris Five.

"Minha expectativa é grande, espero que tudo corra bem. Fiquei meses me preparando para o Grande Prêmio. Fiz uma preparação antes, estou treinando mais para essas provas e tento trabalhar os cavalos que eu monto todos os dias para me acostumar", explicou a atleta.
Jeane Alves
Nascida em Acopiara, no interior do Ceará, Jeane Alves tomou gosto pela modalidade por causa do amor aos cavalos e pelo incentivo do primo e da prima, que já montavam e lhe ajudaram na carreira. "Ele está na Inglaterra e ela também continua montando. Sempre gostei de cavalo, fui criada em fazenda. Adorava, assistia, queria vir, eles falaram com o professor da escolinha de preparação para jóquei, fui passando nos testes e estou aqui hoje", afirmou.

Sua trajetória começou quando tinha 18 anos, em uma modalidade que não faz divisão de gênero nas disputas. As mulheres são minoria e as que vencem estão em número mais reduzido ainda. "Quando eu era aprendiz, fui ganhadora nos dois anos nas estatísticas com o maior número de vitórias", contou.

Só que faltando dois meses para virar joqueta, Jeane Alves sofreu um acidente sério, quebrou o braço e precisou colocar pinos e placa. Aí começou a sua trajetória de superação. Quando retornou, emendou uma boa fase e chegou a vencer cinco provas seguidas no mesmo dia. "Depois do acidente, quando retornei nada me abalou. Voltei e me tornei a primeira mulher a ganhar no grupo 1 no Brasil, que é o Grande Prêmio mais importante. Isso em 2010".

Nesta roda gigante do turfe, ela sofreu outro acidente e logo depois a sua carreira titubeou por causa de problemas fora do turfe. "Mas acabei me reerguendo, tive novas oportunidades e comecei a vencer novamente", lembrou Jeane Alves. Em 2016 e 2017, ela até chegou a quebrar a clavícula em novo acidente, mas teve um período maravilhoso e ganhou a estatística no número de vitórias no Jockey de São Paulo.

No evento deste domingo, além de poder ver Jeane Alves em ação, o público terá uma programação especial com atividades voltadas para as crianças e um festival de Food Trucks. É um programa para a família e Jeane sabe que lá no interior do Ceará terá uma torcida bastante especial torcendo pelo sucesso dela. "O pessoal já está acostumado comigo nas competições. No começo era tudo novidade, mas hoje em dia já virou rotina. Claro que fica todo mundo feliz e quando vou para lá é sempre uma festa", revelou a joqueta.

R7/Estadão

Nenhum comentário: