TV MEU XODÓ - A TELEVISÃO DE ACOPIARA

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Fiscalização terá radares móveis e fotossensores

Após quase uma semana desligados e às vésperas dos feriadões de fim de ano, os radares eletrônicos das rodovias federais, incluindo as que cortam o Ceará, voltaram a funcionar no último dia 20, de acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Os mais de 3 mil equipamentos tiveram a operação suspensa em todo o País, devido a pendências financeiras do órgão. Na Capital cearense, os fotossensores e placas de fiscalização chegaram a ser cobertos com sacolas pretas, numa medida inédita. Apesar do retorno, a Polícia Rodoviária Federal (PRF/CE) deve reforçar a fiscalização em todo o Estado com sete radares móveis, no período do fim de ano.

A vigilância rigorosa dos radares eletrônicos móveis e fixos resultou em um número alarmante. Frequente alvo de reclamações por parte de motoristas, em 2017, até este mês, foram computadas 96.111 multas nas BRs que cruzam o Estado, de acordo com dados do Sistema de Informações Gerenciais da PRF.

Conforme a PRF, a Operação Rodovida - iniciada no dia 22 deste mês e estendida até o dia 18 de fevereiro, pós-carnaval - deverá reforçar ações de forma específica, de acordo com as causas e perfis dos acidentes registrados em cada ponto. Segundo o inspetor da PRF Carlos Nunes, as principais infrações - e, consequentemente, causas de ocorrências - são relacionadas a tráfego em excesso de velocidade e ultrapassagens proibidas.

"O trânsito é uma questão comportamental, um espaço de convivência, uma amostragem do que temos na sociedade. É triste, mas a prática nos mostra que o usuário não se preocupa com o risco à própria vida ou à do outro, mas com o impacto no bolso. Tem motorista que, quando vê o radar, logo diminui a velocidade", avalia Nunes, ressaltando que a ultrapassagem proibida está entre as três maiores causas de acidentes graves. "Um item que agrava qualquer outra infração é o não uso do cinto de segurança e do capacete. A gente tem fiscalizado muito a utilização correta dos dois".

DN Online

Nenhum comentário: