TV MEU XODÓ - A TELEVISÃO DE ACOPIARA

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Seminário promovido pelo Sebrae demonstra novas tecnologias para a apicultura

Mais de 100 apicultores da região Centro-Sul do Ceará participaram na cidade de Iguatu, nesta quinta-feira, 9, do 3º Seminário de Apicultura promovido pelo escritório regional do Sebrae. O evento faz parte do projeto Apicultores dos Sertões de Crateús e do Centro-Sul.

“O nosso foco é para a gestão dos negócios para que os apicultores produzam melhor, com menor custo e tenham mais resultados”, frisou a coordenadora de Apicultura do Sebrae, na região Centro-Sul, Tuany Holanda. “O evento foi bem participativo e trouxe muitas informações importantes para os apicultores”.

Apesar das dificuldades com seis anos seguidos de chuva abaixo da média, o setor conseguiu produzir mais neste ano em relação ao período anterior. Na região Centro-Sul, a produção estimada em 2016 foi de 250 toneladas de mel de abelha. Neste ano, foi de 350 toneladas.

A comercialização do quilo do mel neste ano no período de aquisição para exportação chegou a R$ 12,20 e agora está em torno de R$ 9,50. É um valor considerado satisfatório. “O preço esteve muito bom e o mercado é promissor”, observou o agrônomo e empresário do setor, Odério Lima, um dos palestrantes do evento.

Odério Lima mostrou novas tecnologias e a possibilidade de irrigação de pés da jurema preta para assegurar ampla produção de mel. “Bastam apenas 750 litros de água em cada pé, considerando duas plantas por apiário”, demonstrou. “A Caatinga precisa ser preservada”.

O presidente da Confederação Brasileira de Apicultores, José Soares de Aragão Brito, demonstrou as vantagens da atividade que dá renda complementar em um primeiro momento e posteriormente poderá ser a principal receita do agricultor familiar. “Temos uma elevada demanda mundial por mel de abelha, o preço é muito bom, e se houver investimento na qualidade há grandes possibilidades de aumento da receita com a atividade”.

Aragão defendeu o uso de tecnologias e disse que é possível dobrar a produção sem aumentar uma colmeia.

O Brasil produz 46 mil toneladas de mel de abelha por ano e a produção tem sido crescente nos últimos anos. Desse total, 52% estão voltados para a exportação.

DN Centro Sul
jornalista Honório Barbosa

Nenhum comentário: