terça-feira, 10 de outubro de 2017

Mania de perseguição subiu pra cabeça do vereador Chico Ribeiro! Será que ele precisa de ajuda?

Resultado de imagem para vereador chico ribeiroE o vereador Chico Ribeiro aprontou outra vez. Depois da revelação de ter sido condenado como ficha suja o Chico deu um tempo e ficou mais calmo. Mas não demorou muito e ele sai com uma que além de nova é difícil de entender.

Sexta, dia 06 de outubro, na sessão da Câmara Municipal de Quixelô, o vereador Chico Ribeiro pediu ao presidente da Câmara para que “fosse o último a falar”, no que foi atendido. Mas Chico esqueceu que vereador não fala depois do líder de bancada e aí começaram as agressões. A primeira contra o presidente da Câmara, Dadá Guedes que de cara recebeu uma ameaça. Chico queria mesmo falar por último e isso o Regimento não permite se ele não for líder de bancada.

Chico esqueceu do Regimento Interno e por isso desferiu palavras agressivas ao presidente da Câmara, Dadá Guedes. Tudo foi gravado e a gravação publicada, ainda na sexta, no site da Câmara Municipal de Quixelô, tirando-lhe o direito de negar.

Essa mania de perseguição está afetando a memória do vereador. Ele, por exemplo, esqueceu o Regimento e também que ao longo desses 30 anos de sucessivos mandatos não apresentou nenhum projeto de lei em favor de Quixelô, lembrando que emenda parlamentar não é projeto.

Em seguida, na sua fala, passou a atacar o vereador, líder da bancada, Adil Vieira acusando-o de perseguição e as mesmas reclamações que faz sempre. Que perseguem a família dele, o filho, as noras, etc.

A reportagem do blog não quer acreditar que o velho Chico esteja sinalizando problemas de personalidade; aqueles em que as pessoas reclamam de estarem permanentemente sob perseguição ou ouvindo vozes. O blog entende isso como grave. Tão grave que após desfilar uma lista de reclamações contra Adil Vieira, Chico Ribeiro não ficou para ouvir a réplica de Adil e simplesmente saiu da casa esquecendo inclusive os seus óculos.

Adil Vieira foi o próximo a falar e não segurou a sua habitual cortesia. Sem entender os motivos dessa agressão despropositada, deixou registrado em seu pronunciamento a atitude “covarde” de Chico Ribeiro.

A sessão de sexta terminou deixando nos presentes uma triste sensação de mal estar. Uma coisa é certa: Chico Ribeiro precisa de ajuda.

Nenhum comentário: