Ao vivo, II Grande Vaquejada do Parque Manuel Camilo em Acopiara (CE)

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Procuradoria suspende negociação de acordo de delação de Eduardo Cunha

Curitiba,Pr,Brasil 14.07.2017 Eduardo Cunha chega a PF para prestar depoimento Foto: Reproducao de video ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***
O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi informado de que as negociações de seu acordo de delação foram suspensas pela PGR (Procuradoria-Geral da República).

Cunha, que está preso há dez meses no Complexo Médico Penal, em Pinhais (PR), recebeu a notícia depois que seus advogados foram informados oficialmente pelos procuradores de que não havia qualquer possibilidade do acordo do político evoluir.

Pessoas que estiveram com Cunha após o episódio relatam que ele não se exaltou ao receber a notícia.

Os advogados do peemedebista estudam a possibilidade de insistir na delação após a troca do procurador-geral da República.

No dia 17 de setembro, Rodrigo Janot, que ocupa o cargo, será substituído por Raquel Dodge, nomeada para o cargo pelo presidente Michel Temer.

Segundo envolvidos nas tratativas, o principal motivo da suspensão das conversas seriam os temas pouco consistentes oferecidos pelo ex-deputado.

Como a Folha informou em julho, os investigadores vinham insistindo para que Cunha apresentasse informações sobre uma conta ou um trust em paraíso fiscal que pudesse ter ligação direta com Michel Temer.

Outra condição para que as negociações evoluíssem era que Cunha entregasse fatos ilícitos envolvendo aliados, como os deputados do centrão –bloco político que o ajudou a se eleger presidente da Câmara em 2015 e que foi determinante para o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff em 2016.

Folha de S.Paulo

Nenhum comentário: