terça-feira, 1 de agosto de 2017

Govenistas dizem ter votos contra denúncia da PGR; oposição busca estratégia

Deputados da base aliada e da oposição devem definir nesta terça-feira (1º) suas estratégias de atuação para a sessão de votação da denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer, no plenário da Câmara, que ocorre nesta quarta-feira (2).

Enquanto os governistas trabalham para convencer os aliados a estarem no plenário para rejeitar a denúncia, os oposicionistas divergem sobre o processo de votação e se reunirão nesta terça-feira para tentar fechar uma estratégia única que leve à autorização para o prosseguimento da denúncia.

Para que Câmara autorize o Supremo Tribunal Federal (STF) a investigar o presidente Temer, serão necessários 342 votos contrários ao parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que recomenda a rejeição da denúncia. Líderes da base aliada afirmam ter votos suficientes para impedir o prosseguimento das investigações. Para derrubar a denúncia, serão necessários, pelo menos, 172 votos, número que os governistas dizem ter.

Confiantes no resultado favorável a Temer, os líderes governistas querem que a votação ocorra nesta quarta-feira. O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, disse que só iniciará a votação quando 342 deputados marcarem presença no plenário. Com isso, a base aliada teme que a oposição não registre presença, obstruindo a votação.

No entanto, o líder do PT, deputado Carlos Zarattini (SP), negou que a oposição queira obstruir a análise da denúncia para manter desgaste de Temer. Para o petista, os partidos oposicionistas devem fechar uma posição única de atuação na votação.

(Agência Brasil)
Postar um comentário