quarta-feira, 14 de junho de 2017

Presidente do ICEQUI, em Quixelô, apela nas redes sociais e fato repercute na região

O grupo de oposição em Quixelô (CE), não pára de dar tiro no próprio pé. Um comentário feito pelo internauta Antonio Alves, motivou o presidente do Icequi, José Roberto Lopes, a faltar com respeito e decência ao povo daquele município.

Com palavras de baixo calão, o presidente da entidade, simplesmente, desceu o nível ao chamar o internauta de filho de rapa...., via.., bos.. e pau no c.
Segundo um print enviado ao blog, o internauta teria ficado curioso e sem entender o que motivou o presidente do ICEQUI, José Roberto, a deletar um vídeo (abaixo) postado por ele mesmo que tratava sobre a comercialização de carne de moita naquela cidade.

O internauta fez a seguinte indagação: "Será porque essa carne tá entrando no mercantil de um dos homens mais ricos de Quixelô e aliado político da oposição"?

A pergunta foi suficiente para a quantidade de baixaria dita pelo presidente do ICEQUI, em redes sociais.


Cá pra nós

De nervosa e desatenta, a oposição de Quixelô está ficando histérica e a beira de um ataque de nervos. Santa pisada de bola, Batman. Pobre ICEQUI.

Em tempo

Recentemente, em sessão na Câmara Municipal de Quixelô, o vereador Adil Vieira, afirmou que existia um acordo  entre comerciantes e marchantes para que todos os animais fossem abatidos em Iguatu, inclusive com um transporte sendo oferecido gratuitamente pela Prefeitura para transportar a carne.

Vale salientar, que o acordo foi descumprido por alguns marchantes que preferiram continuar com o abate irregular, comercializando carne de moita. A atitude desse marchantes, prejudicou os que queriam trabalhar regularmente, pois a carne dos animais abatidos em Iguatu só chegava no município por volta das 9 horas da manhã. Neste horário, a população e o comércio já tinha adquirido a carne sem inspeção. "Quem cumpria o acordo chegava com a carne para ser vendida depois das nove da manhã e não tinha para quem vender, pois quem abatia na moita tinha a vantagem de vender mais cedo", disse o vereador.

Adil falou também que é preciso procurar uma solução alternativa para o caso, já que ainda falta muito para a conclusão da obra o abatedouro que está sendo construído em Quixelô, pela prefeita Fátima Gomes.

Nenhum comentário: