TV MEU XODÓ - A TELEVISÃO DE ACOPIARA

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Áudio mostra que Temer sabia que J&F havia infiltrado procurador em investigação

O presidente Michel Temer (PMDB) sabia que o grupo J&F havia infiltrado um procurador da República nas investigações contra o grupo que tramitam na Justiça Federal. Em áudio divulgado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) nesta quinta-feira (18), o empresário Joesley Batista, dono do grupo, contou ao presidente que ele havia colocado um procurador para atuar em favor do grupo junto às investigações.

Na manhã desta quinta, a PF (Polícia Federal) prendeu o procurador Ângelo Goulart Vilella, que atuava nos casos envolvendo o grupo J&F por repassar informações sigilosas ao grupo empresarial.

No áudio divulgado, Joesley fala sobre o procurador ao detalhar sua estratégia de defesa em relação às investigações das operações Sepsis e Greenfield.

"Consegui um procurador dentro da força-tarefa que está me dando informação e que eu estou pra dar conta de trocar o procurador que está atrás de mim", disse Joesley ao presidente. Temer responde, mas o áudio não permite identificar o que ele disse ao empresário.

"Eu consegui colar um no grupo e agora estou tentando trocar [o procurador titular] (...) então eu estou me defendendo", repetiu Joesley ao presidente, que responde assentindo. "É", disse Temer.

Em nota, o Palácio do Planalto afirma que Temer "não acreditou" nas declarações do empresário. "O presidente Michel Temer não acreditou na veracidade das declarações. O empresário estava sendo objeto de inquérito e por isso parecia contar vantagem. O presidente não poderia crer que um juiz e um membro do Ministério Público estivessem sendo cooptados", diz o texto enviado pela assessoria de imprensa da Presidência.

Joesley também detalha a Temer os detalhes sobre o quanto estaria pagando ao procurador infiltrado. "Tô fazendo [pagando] R$ 50 mil por mês, me dá informação, pelo menos me dá informação. [Inaudível]"

Joesley conta a Temer que evitou uma investigação contra a JBS na Lava Jato ao pagar propina ao procurador infiltrado.

Uol

Nenhum comentário: