segunda-feira, 10 de abril de 2017

Marcelo Odebrecht presta depoimento e reafirma que Palocci era o 'Italiano'

Marcelo Odebrecht (bottom, R), the head of Latin America's largest engineering and construction company Odebrecht SA, and Otavio Marques Azevedo (2nd L), CEO of Brazil's second largest builder Andrade Gutierrez, are escorted by federal police officers as they leave the Institute of Forensic Science in Curitiba, Brazil, June 20, 2015. Brazilian police on Friday arrested Odebrecht and accused his family-run conglomerate of spearheading a $2.1 billion bribery scheme at state-run oil firm Petrobras. Police also apprehended Azevedo as the probe into corruption at Petrobras spread to the highest level of Brazilian business. REUTERS/Rodolfo Burher ORG XMIT: BRA104
O empresário Marcelo Odebrecht prestou nesta segunda-feira (10) seu primeiro depoimento à Justiça depois de fechar um acordo de delação premiada.

Herdeiro do grupo Odebrecht, ele reafirmou que o ex-ministro Antonio Palocci era o "Italiano" apontado em planilha de repasses de propina da empresa, segundo a Folha apurou.

O empresário detalhou os mecanismos de pagamento de vantagens indevidas ao ex-ministro. Palocci, segundo ele, era o principal interlocutor da empresa no governo do ex-presidente Lula.

Marcelo falou durante cerca de duas horas e meia ao juiz Sergio Moro, na Justiça Federal do Paraná.

A íntegra do depoimento está sob sigilo, assim como o acordo de delação premiada dos executivos da empreiteira, que ainda não foi tornado público pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

O interrogatório fez parte da ação contra Palocci, acusado de interceder em favor dos interesses da Odebrecht.

Ele foi mencionado em planilhas apreendidas na empreiteira que demonstram o pagamento de R$ 128 milhões em vantagens indevidas, segundo a denúncia. A defesa do ex-ministro nega irregularidades.

Folha de S.Paulo
Postar um comentário