segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Governo elimina do Enem candidatos flagrados em tentativa de fraude

O governo eliminou do Enem todos os candidatos flagrados em qualquer tentativa de fraude. No domingo (6), 14 pessoas foram presas. Uma quadrilhava chegava a cobrar R$ 180 mil por candidato.
Quatro pessoas foram presas em diferentes estados do Norte e Nordeste. Segundo a polícia, no Ceará e no Amapá pelo menos dois candidatos conseguiram informações antecipadas sobre o tema da redação. No Amapá, os policiais estavam disfarçados de fiscais de prova e um candidato foi preso na saída do exame com um rascunho da redação.

Outras dez pessoas foram presas em Minas Gerais. Segundo a polícia, elas faziam parte de uma quadrilha que montou na cidade de Montes Claros um esquema de repasse do gabarito para os candidatos dentro da sala da prova.

O chefe era Rodrigo Ferreira Viana, ex-estudante de medicina. Ele contratava "pilotos", pessoas que faziam a prova no lugar do candidato ou respondiam às questões rapidamente e saiam da sala com o gabarito, que seria repassado para quem pagou à quadrilha.

No domingo (6), o Fantástico mostrou que as respostas eram transmitidas por meio de um micro ponto eletrônico no ouvido do candidato. O ponto era ligado a um receptor do tamanho de um cartão de crédito.

Segundo o Inep, os candidatos flagrados nas fraudes foram eliminados do Enem. A Polícia Federal continua investigando os casos em todo o país, inclusive a quadrilha de Montes Claros. Está também analisando o material apreendido, comparando impressões digitais e vai ainda cruzar os gabaritos do banco de dados do Inep.

Sobre o suposto vazamento do tema da redação para dois candidatos do Nordeste, o Ministério da Educação declarou que ainda está apurando o assunto. Com base nessas prisões, o Ministério Público do Ceará pediu que a Justiça Federal anule a prova de redação do Enem.
Postar um comentário