quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Pagamento da segunda parcela do 13º dos servidores do Estado do Ceará garantida para dezembro

Apesar da situação apertada que o Ceará vive em suas contas públicas, o governo estadual garante que tem tomado todas as medidas para que seus servidores recebam a segunda parcela do 13º salário normalmente em 2016. Ontem, o secretário da Fazenda do Estado, Mauro Filho, disse que o pagamento está "garantido" e que será efetuado em dezembro, entre os dias 18 e 22.

"Aproximadamente 15 estados já anunciaram que não terão condições financeiras de pagar o 13º salário de seus servidores, o que gerou uma certa preocupação por parte dos cearenses. Entretanto, quero reforçar que o pagamento está garantido, como sempre fazemos. Estamos nos preparando mês a mês para isso e vamos honrar nossos compromissos", disse Mauro Filho.

Segundo o secretário, uma prova de que o Ceará tem se planejado para pagar seus servidores é o fato de que todos receberam a primeira parcela normalmente no dia 5 de julho. "Somente cinco estados brasileiros conseguiram pagar a primeira parcela. Nós somos um deles".

Injeção de R$ 400 milhões

Ainda de acordo com Mauro Filho, a segunda parcela do 13º salário dos servidores estaduais deve injetar, no Ceará, aproximadamente R$ 400 milhões. Conforme diz, o valor é preponderante para a economia do Estado.

"Esta valor não vai beneficiar apenas os servidores, mas toda a economia cearense. Isso será injetado, por exemplo, no comércio, gerando renda e emprego para a população local", contou.

Folha deve subir 7%

Outro ponto destacado por Mauro Filho foi o crescimento da folha de pagamento do Ceará, que deve fechar o ano com avanço de 7%, segundo diz. "Já tivemos uma alta de 5% até o momento e a expectativa é que este valor cresça até o fim de 2016", pontuou o secretário. Segundo ele, a projeção é decorrente de alguns reajustes que ainda devem acontecer, assim como contratações que o Estado vem fazendo.

Questionado se as receitas do Estado seria suficientes para bancar o crescimento da folha salarial, o secretário afirmou que "os pagamentos estão garantidos". Ele pontuou, porém, que o Ceará pode reduzir os investimentos para conseguir manter suas contas equilibradas em 2016.

DN Online
Postar um comentário