segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Impeachment é pena de morte política, diz Dilma

A presidente afastada, Dilma Rousseff, comparou-se a ex-presidentes que deixaram o cargo ao discursar no Senado nesta segunda-feira (29) para se defender do julgamento do processo de impeachment. Ela citou três ex-presidentes: Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek e João Goulart. No discurso, Dilma também chamou o impeachment de "golpe" e "pena de morte política".

"O presidente Juscelino Kubitschek, que construiu esta cidade, foi vítima de constantes e fracassadas tentativas de golpe, como ocorreu no episódio de Aragarças. O presidente João Goulart, defensor da democracia, dos direitos dos trabalhadores e das reformas de base, superou o golpe do parlamentarismo, mas foi deposto e instaurou-se a ditadura militar, em 1964", acrescentou Dilma.

Ela discursou por quase 50 minutos e foi aplaudida ao final, saudada aos gritos de "Dilma guerreira do povo brasileiro" e "fora, Temer". Devido aos gritos, a sessão chegou a ser interrompida. Em alguns momentos do discurso, como ao relembrar o câncer de que sofreu, a presidente se emocionou e embargou a voz.
Postar um comentário